Fechado desde 2015, União São João completa 35 anos à espera de um recomeço

Celeiro de grandes jogadores como Robertos Carlos, clube fechou as portas em 2015 por uma dívida de cerca de R$ 15 milhões

por Ricardo Magatti

Araras, SP, 14 (AFI) - Celeiro de grandes jogadores como ex-lateral-esquerdo Roberto Carlos, de Palmeiras, Corinthians e Seleção Brasileiro, o União São João de Araras completa 35 anos nesta quinta-feira sem ter muito o que comemorar. Um dos clubes mais tradicionais do interior de São Paulo, o União fechou as portas em abril de 2015 sem conseguir pagar uma dívida de cerca de R$ 15 milhões.

Os jovens de hoje não se lembram, mas o time de Araras incomodou, e muito, os grandes clubes da capital na década de 80 e, principalmente, 90. Tanto que tem marcadas em sua história conquistas importantes como o Campeonato Brasileiro da Série C em 1988 e da Série B em 1996. Também foi campeão Paulista do Interior e vice-campeão do Paulistão em 2002, quando a competição foi disputada apenas por equipes do interior.

Além disso, o clube, que disputou a primeira divisão do futebol brasileiro quatro vezes, ganhou notoriedade por revelar, além de Roberto Carlos, outros jogadores importantes no cenário do futebol nacional como Alexandre, um dos grandes craques do time da década de 90, Adinam, goleiro que sofreu o primeiro gol da carreira de Rogério Ceni, Léo, lateral-esquerdo ex-Santos, Fabrício, ex-volante de São Paulo, Corinthians e Cruzeiro, Danilo Sacramento, ex-Guarani e Ponte Preta, Privati, Paulo Magno, Osmar e Luan, este último que voltou ao Palmeiras nesta temporada.

Primeiro de pé à esquerda, Roberto Carlos foi um dos craques revelados pelo União São João de Araras
Primeiro de pé à esquerda, Roberto Carlos foi um dos craques revelados pelo União São João de Araras
1º CLUBE-EMPRESA

Administrado pelo Empresário da Construção Civil, José Mário Pavan, o União de Araras entrou para a história do futebol brasileiro como a primeira agremiação esportiva a se transformar em clube-empresa em 1994, ainda quando a Lei Zico vigorava.

Diferente dos grandes clubes brasileiros ainda administrados por dirigentes Amadores, o União de Araras foi gerido por Executivos especializados em cada uma de suas áreas, sendo estes cobrados em seu aproveitamento como em qualquer empresa.

TRISTE FIM. E O FUTURO?

A realidade, no entanto, nada se assemelha a do passado do glorioso do clube em que sonhava em ser o Palmeiras. Mergulhado em uma crise financeira sem precedentes, o clube fechou as portas para "organizar a casa", palavras publicadas em sua página oficial do Facebook, no dia 3 de fevereiro de 2015 e espera investimentos de empresários ou, até mesmo, o próprio Roberto Carlos, que já fechou uma parceria com o clube em agosto do ano passado, para recomeçar no futebol e, quem sabe, voltar a figurar entre os clubes mais importantes do interior paulista.

 
 
" />