Segundona: Atacante do Tupã agride rival e corre para o vestiário, mas acaba expulso

Segundo o árbitro Kleber Canto dos Santos, logo após o término da partida, André socou o abdômen do goleiro adversário, Gustavo

por Agência Futebol Interior

Birigui, SP, 10 (AFI) - O Tupã, neste domingo, foi surpreendido pelo Bandeirante, lanterna do Grupo 1, e perdeu por 3 a 1, no estádio Pedro Marin Berbel, em Birigui. O duelo, válido pela décima primeira rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, também ficou marcado pela expulsão de André.

Segundo o árbitro Kleber Canto dos Santos, logo após o término da partida, o atacante do time visitante socou o abdômen do goleiro adversário, Gustavo, e correu para o vestiário. Apesar disso, acabou tomando o cartão vermelho.

Segundona: Bandeirante venceu o Tupã - Foto: Divulgação / BEC
Segundona: Bandeirante venceu o Tupã - Foto: Divulgação / BEC
O curioso é que Andre Domingues Vitoriano, de 19 anos, fazia a reestreia pelo Tupã, pelo qual foi revelado em 2016 e teve uma outra passagem em 2018.

No começo deste ano, ele fez dois gols em 12 partidas pelo Guarani de Venâncio Aires, que chegou às semifinais do Gaúcho da Divisão de Acesso (equivalente ao Paulista A2) e perdeu o acesso para o Esportivo de Bento Gonçalves.

MOMENTO
O grupo de classificação para a segunda fase da Segundona Paulista é composto por Fernandópolis, com 21 pontos; Andradina, com 18; Tupã, com 17; e Osvaldo Cruz, com 11. Por outro lado, José Bonifácio, com 11; e América e Bandeirante, com sete, estariam sendo eliminados ainda no Grupo 1.

CONFIRA A SÚMULA NA ÍNTEGRA
"Após o término da partida, o atleta de n° 11, o Sr. André Domingos Vitoriano, da equipe Tupã F.C., atingiu seu adversário de n° 1, o Sr. Gustavo Silva de Oliveira, da equipe Bandeirante E.C. com um soco na região abdominal. Em seguida, o atleta n°11 corre rapidamente em direção ao seu vestiário, por esse motivo, não foi possível mostrar o cartão vermelho para o atleta. Sendo assim, informei o capitão da equipe Tupã F.C. sobre a expulsão do atleta de sua equipe. Informo que o atleta de n° 1 não precisou de atendimento médico e, após o ocorrido, ambas as equipes se dirigiram aos seus respectivos vestiários", escreveu o juiz.