MP recomenda banimento de torcida organizada de time da Série C

Procurador alega que relatório da PM comprova envolvimento de integrantes da Torcida Jovem do Galo em episódios violentos

por Agência Futebol Interior

Campina Grande, PB, 03 (AFI) - O Procurador de Justiça Valberto Lira, do Ministério Público do Estado da Paraíba, protocolou nesta segunda-feira uma recomendação pelo banimento da Torcida Jovem do Galo, grupo de torcedores organizados do Treze da Paraíba. A razão do pedido foi a confusão protagonizada por integrantes da torcida no último dia 5 de maio, na partida entre Treze e ABC, no Amigão, em João Pessoa, pela segunda rodada da Série C.

O período de suspensão sugerido pelo Procurador é de 18 meses. Ao longo do documento, o grupo é apontado como uma ameaça à segurança dos torcedores comuns. A punição é cogitada com base no artigo 39-A do Estatuto do Torcedor:

Foto: Divulgação / Treze FC
Foto: Divulgação / Treze FC
“A torcida organizada que, em vento esportivo, promover o tumulto,praticar ou incitar a violência; ou invadir local restrito aos competidores, árbitros, fiscais, dirigentes, organizadores u jornalistas será impedida, assim como seus associados ou membros, de comparecer a eventos esportivo pelo prazo de até 3 (três) anos” , diz o artigo.

Segundo Lira, um relatório do Décimo Batalhão da Polícia Militar de Campina Grandes comprova os atos de vandalismo cometidos por integrantes da Torcida Jovem do Galo, com base na vestimenta dos autores. O caso citado é confronto com torcedores do ABC no Amigão.

Caso a recomendação seja aceita, a medida pode ser revogada caso um dos responsáveis pela torcida entregue à Justiça uma relação dos nomes envolvidos nos atos de vandalismo e violência.