'Era um time que dificilmente seria batido', diz presidente do vice-líder da Série A2

Taubaté aparece na segunda colocação, com 21 pontos, um abaixo do líder São Bernardo FC, após 12 rodadas

por Agência Futebol Interior

Taubaté, SP, 13 (AFI) - Após um início instável no Campeonato Paulista da Série A2, o Taubaté se encontrou a partir da oitava rodada, quando estreou o técnico João Vallim, que estava no Linense. O presidente alviazul, o ex-atacante Gilsinho, mostrou confiança no trabalho.

“A gente percebia que o time estava com um encaixe. Era um time que dificilmente seria batido da maneira que estava jogando. O João Vallim conseguiu acertar a equipe, os jogadores entenderam a filosofia de trabalho e a equipe se tornou consistente”, afirmou à Rádio JSV.

CONTA MAIS
A equipe taubateana aparece na segunda colocação, com 21 pontos, um abaixo do líder São Bernardo FC, após 12 rodadas da primeira fase, e dentro do grupo de classificação às quartas de final do Paulista A2. Por outro lado, Penapolense e Votuporanguense, com nove, formam a zona de rebaixamento.

Gilsinho é o presidente do Taubaté - Foto: Bruno Castilho / EC Taubaté - Foto: Bruno Castilho / EC Taubaté
Gilsinho é o presidente do Taubaté - Foto: Bruno Castilho / EC Taubaté
“Era uma equipe segura na defesa e objetiva no ataque. Ele conseguiu dar uma transição rápida, algo que não tinha no começo do campeonato. Nossa equipe começou a criar oportunidades e se tornou uma equipe muito difícil de ser batida”, acrescentou.

“Agora com três meses de paralisação é outro campeonato. Vai ser preciso um trabalho da comissão técnica para conscientizar os jogadores porque será um tiro muito curto. A preparação não vai ser ideal, talvez tenhamos que fazer uma pré-temporada de 10 ou 15 dias. Será necessário um trabalho físico e mental muito bom com os atletas”, encerrou.