Ex-atacante do Sport está livre da acusação de violência contra ex-namorada

O atacante Juninho, ex-Sport, teve seu processo prescrito hoje e está livre da acusação feita em 2017 pela ex-namorada do jogador

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 12 (AFI) - O processo que julgava as denúncias do atacante Juninho, ex-Sport, foi extinto. EM sentença no último dia 07, a juíza Roberta Vasconcelos Franco Rafael Nogueira reconheceu a prescrição das acusações. Ou seja, Juninho não poderá mais ser punido pela acusação.

ENTENDA O CASO

O atacante foi acusado de agredir a ex-namorada em 2017, com quem teve uma relação por cinco meses. Uma das agressões teria acontecido no mês de setembro. Na dia 6 de outubro, a vítima, que tem 20 anos, teria solicitado medidas protetivas para que ele se mantivesse afastado e chegou a mostrar mensagens do jogador em redes sociais. Em entrevista, a vítima detalhou o que teria acontecido.

Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press
Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press

"Quando chegamos no apartamento, assim que descemos, eu disse que não dormiria com ele. Que apenas conversaria e iria embora. Foi quando ele me deu o primeiro tapa no rosto e as câmeras do prédio filmaram. Quando subimos, ele me trancou dentro do quarto e foi quando começou tudo. Que eu era obrigada a ficar com ele, porque, se eu saísse de lá, eu iria acabar com a carreira dele, porque todo mundo no clube já sabia que ele tinha me agredido. Quando falei que iria embora, ele levantou procurando uma faca, porque disse que teria que me matar, porque quando eu fosse embora, saberia que eu chamaria a polícia pelas agressões que ele fez. Deu murros no meu rosto, puxou o meu cabelo... E disse que teria que me matar para poder proteger a carreira dele."

POR QUE PRESCREVEU ?

A prescrição aconteceu pelo fato de terem transcorridos mais três anos da data de recebimento da denúncia contra o jogador, ocorrida em 30/11/2017, sem que fosse proferida a sentença. Esse prazo é estipulado em razão da pena máxima atribuída a cada delito.

No caso, as penas máximas previstas para os crimes de ameaça e vias de fato é de três meses de detenção. Por conta disso, a prescrição é de três anos.