Procurador do STJD praticamente descarta anular jogo entre Sprot e Palmeiras

Principal reclamação rubro-negra é em cima do pênalti que foi marcado pelo árbitro capixaba Dyorgines José Padovani de Andrade

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 12 (AFI) - O Sport bem que tentou, mas o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) não deve ir na do Leão e manterá o resultado da partida entre pernambucanos e Palmeiras - 1 a 0 para os paulistas pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

"Primeiro tem que ver se o árbitro errou. Se ele não errou, fim de papo. Se ele errou, tem que saber se é erro de fato ou erro de direito. Se existisse um erro nessa situação, seria erro de lance interpretativo. No caso, erro de fato, o que não tem chance de anular a partida", explicou Ronaldo Botelho, procurador-geral do STJD, ao ge.

Procurador do STJD não concorda com o Sport. (Foto: Daniela Lameira / Site STJD)
Procurador do STJD não concorda com o Sport. (Foto: Daniela Lameira / Site STJD)
SEM VAR?

A principal reclamação rubro-negra é em cima do pênalti que foi marcado pelo árbitro capixaba Dyorgines José Padovani de Andrade depois da bola tocar no braço de Rony dentro da área aos 49 minutos do segundo tempo. No entanto, o árbitro voltou atrás após ser chamado pelo VAR e ver o lance no vídeo.

O Sport não só pediu a anulação do jogo, como também solicitou que o VAR não fosse mais usado na Ilha do Retiro, em Recife.

"É uma medida que o Sport vai tentar junto à CBF. Não acredito que terá sucesso porque, para que isso ocorresse, a CBF teria que acatar, os clubes adversários teriam que acatar, porque se trata de regulamento. Digamos que a CBF aceitasse, qualquer clube que jogasse contra o Sport, sem VAR, poderia acionar o STJD e aí o STJD certamente iria se colocar. Porque o regulamento não prevê isso", completou Botelho.