Sergipano: Cancelar rebaixamento gera protestos da Imprensa contra a Federação

Cronista Adailson Cruz expressa sua opinião contrária à medida da FSF que beneficiou Lagarto e América

por Agência Futebol Interior

Aracaju, SE, 28 (AFI) - A decisão da Federação Sergipana de Futebol (FSF) , tomada dia 23 de julho, de alterar o regulamento e perdoar o rebaixamento gerou muitos protestos na Imprensa do Estado. Como num passe de mágica, Lagarto e América, se mantêm na elite e garantem suas presenças no Estadual de 2021. Abaixo está um comentário do jornalista ADAILSON CRUZ, que traduz o pensamento de grande parte dos cronistas esportivos de Sergipe.

DECISÃO PARA MANCHAR A FSF
Não basta a pandemia do novo coronavírus que se instalou no mundo inteiro, sendo o pivô de uma série de problemas em todos os segmentos sociais, eis que surge um pandemônio criado

Miltinho recebe críticas por abolir rebaixamento
Miltinho recebe críticas por abolir rebaixamento

pela FSF (Federação Sergipana de Futebol), quando a mesma informa que os clubes rebaixados no Campeonato Sergipano 2020 (Lagarto e América), serão beneficiados, se mantendo na Série A1 em 2021.

Com essa decisão, a FSF contraria seu próprio regulamento e causa surpresa entre todos. Os citados clubes foram rebaixados nas quatro linhas antes mesmo da suspensão da competição, sendo que interrupção do campeonato ocorreu após a primeira rodada do quadrangular final, por conta do surgimento da pandemia do Covid-19.

BATEU O PÉ
Não sabendo exatamente quando seria o retorno do campeonato, e tendo que dar uma resposta sobre a continuidade ou não do mesmo, o presidente Milton Dantas (Miltinho), sempre foi contundente quando o assunto era: o retorno da competição, afirmando que não iria abrir mão dessa continuidade.
Até aí, tudo bem.
VIRADA DE MESA
O que não se esperava da parte da entidade é que o dirigente maior do nosso futebol iria sugerir uma virada de mesa para salvar a pele do Lagarto Futebol Clube, em especial, para agradar a políticos e dirigentes que viram seu time sucumbir na primeira fase do campeonato.
A alegação do presidente da FSF sobre a virada de mesa vergonhosa, é que a MP 984/2020, que nada tem a ver com o regulamento do campeonato, autoriza as federações a anularem regulamentos, haja vista a MP 984/2020 apenas tratar dos contratos de trabalho e contratos de transmissão dos jogos.
FESTA EM LAGARTO
Logo após a decisão da FSF sobre o não rebaixamento do Lagarto Futebol Clube e do América Futebol Clube, dois políticos da cidade de Lagarto - SE, se manifestaram através de um vídeo, festejando o que podemos considerar como uma vergonha para o futebol sergipano.
Entendemos que os políticos de Lagarto contribuíram para a reforma do Estádio Paulo Barreto de Menezes (O Barretão), juntamente com o atleta Diego Costa, do Athletico de Madrid da Espanha, mandatário do clube, visando jogos do Lagarto na primeira divisão do campeonato sergipano 2021. Todavia, com o rebaixamento do clube, o estádio só estaria disponível para jogos do time no segundo semestre de 2021, quando começasse a série A2 do Sergipano.
Aí vem a manobra!
PRESIDENTE ROBSON SANTOS MOSTRA NOVO BARRETÃO
BARRETÃO REFORMADO
Diante de tal feito, já que há muito tempo não se utilizava o Paulo Barreto de Menezes, deixá-lo ocioso, sem jogos do time durante um bom tempo, e diante do investimento que foi feito para a sua reabertura, isso seria um caos para a agremiação e para a cidade.
O que tratativas políticas, por trás dos bastidores, não podem fazer para ajudar um clube que tem um belo CT, um excelente estádio para jogos e uma torcida apaixonada, para se livrar de um rebaixamento à segunda divisão?
Então, se não é pelo futebol, é pela conveniência.
MUITA PASSIVIDADE
Sendo assim, os clubes do Lagarto e América continuam firmes e fortes na primeira divisão 2021, graças à Federação e a complacência dos clubes que apoiaram tal decisão.
Diego Costa é o investidor do Lagarto
Diego Costa é o investidor do Lagarto
Por que os clubes acataram o pedido da FSF?
A resposta é simples.

Todos os clubes são gentilmente beneficiados pela FSF, e as benevolências da entidade máxima do futebol sergipano aos clubes, certamente os credenciaram na votação à favor desse desserviço ao nosso futebol.
TRABALHO MANCHADO
Ninguém pode afirmar que o Miltinho e sua equipe não têm feito um excelente trabalho na FSF, no entanto, não podemos negar também, que manobras como essa, sujam a imagem do futebol sergipano e diminuem a credibilidade dessa gestão, deixando um rastro de negror em numa administração que já foi questionada quando antecipou as eleições para o mandato seguinte, sem nenhuma necessidade para tal deliberação, uma vez que a gestão não vinha sendo contestada.
Se o nosso futebol não está nada bem dentro de campo, muito menos fora dele, e esses maus exemplos se refletem nas péssimas administrações dos clubes que são continuamente ajudados pela Federação Sergipana de Futebol.
REAIS MOTIVOS
Os reflexos da falta de planejamento dos clubes, da falta de uma boa gestão, da falta de transparência, são os reais motivos para que o nosso futebol esteja abaixo da crítica, com exceção, é claro, do Confiança, que ano após ano vem percebendo a necessidade de mudança de mentalidade.
Esperamos que a FSF reveja essa decisão, ou começaremos a pôr em dúvidas o que até agora acreditamos ser politicamente correto na entidade.
Será que já não basta ver os escândalos que já ocorrerem no futebol brasileiro, justamente com ações dessa natureza? As viradas de mesas deixaram marcas no futebol que até hoje repercutem como atos negativos e torpes.
Para um presidente que disse não querer manchar sua gestão com a anulação do campeonato em meio à pandemia, anular um artigo do regulamento para favorecer o não rebaixamento dos clubes que por incompetência não conseguiram se manter na primeira divisão, é bem pior ainda.
Fica a reflexão.

Adailson Cruz