Seleção Futebol Interior da SÉRIE B tem artilheiro do Brasil em 2018

Gustavo garantiu o a vitória do Fortaleza sobre o Guarani com um golaço de falta aos 49 minutos do segundo tempo

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 15 (AFI) – O Campeonato Brasileiro da Série B começou e os mandantes fizeram a festa. A Ponte Preta foi o único time que jogou em casa e perdeu – 1 a 0 para o Paysandu. Na Arena Castelão, o Fortaleza marcou no finalzinho diante do Guarani e livrou a barra de Rogério Ceni. Sampaio Corrêa, Oeste, Atlético-GO, CSA, Figueirense, Vila Nova e Londrina largaram com o pé direito.

Como de costume, o Portal Futebol Interior fez a seleção da rodada. O técnico é o experiente Francisco Diá, que levou o Sampaio Corrêa a uma expressiva vitória diante do Coritiba. Os melhores estão armados no 4-3-3 e tem como camisa 9 nada mais nada menos que o artilheiro do futebol brasileiro na temporada: Gustavo.

A Seleção FI da 1ª rodada: Mateus Pasinato (Vila Nova); Everton Silva (São Bento), Edimar (Paysandu), Heverton (Brasil de Pelotas) e Guilherme Romão (Oeste); Zé Antônio (Figueirense), Marlon (Sampaio Corrêa) e Pedrinho (Oeste); Niltinho (CSA), Gustavo (Fortaleza) e Tito (Atlético-GO). Técnico: Francisco Diá (Sampaio Corrêa).

Francisco Diá, do Sampaio Corrêa, foi eleito o melhor treinador da primeira rodada
Francisco Diá, do Sampaio Corrêa, foi eleito o melhor treinador da primeira rodada

CONFIRA A SELEÇÃO DA SÉRIE B

Goleiro: Mateus Pasinato (Vila Nova)
O camisa 1 foi, ao lado de Mateus Anderson, o grande responsável pelo Vila Nova estrear na Série B com três pontos. O Tigre não fez uma boa partida no último sábado, mas contou com uma tarde inspirada de Mateus Pasinato, que fez pelo menos três boas defesas.

Lateral-direito: Everton Silva (São Bento)
Fez uma boa estreia com a camisa do São Bento no primeiro jogo da Série B. Contratado depois de disputar o Paulistão com o Red Bull Brasil, o lateral direito foi a alternativa de velocidade pelas pontas e apareceu bem no ataque em mais de uma oportunidade, mas não conseguiu deixar a sua marca. O volante Doriva, também do time de Sorocaba, é outro que merece destaque após o empate por 1 a 1 com o Brasil de Pelotas.

Zagueiro: Edimar (Paysandu)
A Ponte Preta teve bem mais posse de bola que o Paysandu, mas encontrou uma zaga bem postada e por isso perdeu por 1 a 0, em pleno Moisés Lucarelli. Todos os defensores do Papão merecem os parabéns. Em especial Edimar, que não perdeu nenhuma pelo alto e também por baixo. Atento, fez boas coberturas.

A Ponte Preta encontrou dificuldades para furar o bloqueio do Paysandu (Foto: Fábio Leoni/Ponte Press)
A Ponte Preta encontrou dificuldades para furar o bloqueio do Paysandu (Foto: Fábio Leoni/Ponte Press)

Zagueiro: Heverton (Brasil de Pelotas)
É um verdadeiro xerife. Mesmo jogando fora de casa, o São Bento foi superior durante boa parte do duelo em Pelotas e exigiu bastante do sistema defensivo rubronegro. Apesar de ter entrado forte em alguns lances, Heverton nunca foi desleal e ganhou a maioria das jogadas.

Lateral-esquerdo: Guilherme Romão (Oeste)
Fez sua reestreia com a camisa rubronegra na última sexta-feira e foi muito bem apesar do longo período sem disputar uma partida oficial. Apesar de não ter subido muito para o ataque como de costume, Romão contribuiu demais na marcação pelo lado esquerdo.

Volante: Zé Antônio (Figueirense)
Mostrou ter “faro de artilheiro” ao abrir o placar para o Figueirense logo no começo do primeiro tempo ao aproveitar um bate e rebate dentro da área após cobrança de escanteio. Fez sua parte também ajudando na marcação, principalmente em cima do meia Leandro Lima.

Meia: Pedrinho (Oeste)
Apesar de jogar como atacante de lado, na Seleção FI ele será recuado para o meio-campo e vai dividir a função de organizar as jogadas ofensivas com Marlon. Veloz e habilidoso, Pedrinho infernizou a zaga do CRB e garantiu a vitória ao Rubrão com uma pintura na Arena Barueri.

Meia: Marlon (Sampaio Corrêa)
Sua presença foi fundamental para organização do Sampaio dentro de campo. Não só porque organizou a marcação, como também orientou o time do meio-campo para a frente. E correu muito, a ponto de pedir pra ser substituído na parte final do jogo. Mas foi bem demais!

Gustavo deu a vitória ao Fortaleza com um golaço de falta aos 49 minutos do segundo tempo
Gustavo deu a vitória ao Fortaleza com um golaço de falta aos 49 minutos do segundo tempo

Atacante: Niltinho (CSA)
O CSA venceu em sua estreia depois de 25 anos longe da Série B. E se isso aconteceu deve muito a Niltinho. O ex-jogador de São Caetano e Atlético-GO infernizou a defesa do Goiás no primeiro tempo. Saiu dos pés dele as principais jogadas ofensivas na primeira etapa. Na segunda, acabou premiado com um gol, após passe magistral do meia Daniel Costa.

Atacante: Gustavo (Fortaleza)
O técnico Rogério Ceni precisa agradecer seu camisa 9. O Fortaleza ia estreando com empate diante do Guarani em pleno Castelão, quando, aos 49 minutos do segundo tempo, Gustavo cobrou falta com perfeição no ângulo de Bruno Brígido. Na comemora, foi dar um abraço no “professor”. Ele é o artilheiro do Brasil em 2018 com 17 gols.

Atacante: Tito (Atlético-GO)
A principal missão do atacante é marcar gols. Então no quesito é 10 para o artilheiro atleticano, que fez dois gols na vitória por 3 a 2 em cima do Criciúma, em Goiânia. Ambos foram de puro oportunismo. O primeiro num rebote do goleiro e o segundo numa furada do lateral em que ficou cm a bola só para bater cruzado.

Técnico: Francisco Diá (Sampaio Corrêa)
O seu conhecimento no futebol do Norte e Nordeste o ajuda muito para trabalhar com os jogadores das regiões. Mas vale também a sua experiência dentro do futebol, tanto que na estreia apresentou o Sampaio Corrêa bem armado em campo, estruturado e que venceu com méritos o Coritiba, por 2 a 0. O Coxa entrou com fama de campeão, mas deixou o campo como grande decepção. Ao Sampaio resta a missão de manter o ritmo e continuar intimidando seus adversários. Uma pena que o Castelão estivesse vazio por punição do STJD.