Seleção do Paulistão com dupla de artilheiros e destaques do Botafogo

Léo Condé ganhou destaque com a vitória e foi escolhido como treinador dos selecionados pelo Futebol Interior

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 12 (AFI) – Com uma vitória importantíssima dentro do estádio Santa Cruz, o Botafogo ganhou destaque no Campeonato Paulista e assumiu a liderança do Grupo D, à frente do Santos. O resultado consagrou não só o técnico Léo Condé, comandante da Seleção da Rodada do Futebol Interior, como também o artilheiro Bruno Moraes, que deixou a sua marca. Outro destaque é o colombiano Borja, que mais uma vez decidiu o jogo para o Palmeiras nesta 6ª rodada.

O centroavante marcou o primeiro gol na vitória por 2 a 0 em cima do Mirassol fora de casa e ainda sofreu o pênalti no segundo tempo, convertido por Dudu e que garantiu a liderança isolada da competição para o Palmeiras, com 100% de aproveitamento. A dupla de ataque da Seleção está formada justamente com a dupla goleadora: Bruno Moraes, do Botafogo, artilheiro com quatro gols, e Borja, que vem logo atrás, com três.

CONFIRA A SELEÇÃO DA RODADA:

Oliveira (Novorizontino);
Daniel Guedes (Santos), Tiago Alves (Red Bull Brasil), Luan (Ferroviária) e Mateus Mascarenhas (Botafogo);
Jeferson (Ponte Preta), Celsinho (São Bento), Nene (São Paulo) e Hugo Cabral (Santo André);
Bruno Moraes (Botafogo) e Borja (Palmeiras).
Técnico: Léo Condé (Botafogo).

Goleiro: Oliveira (Novorizontino)

Foi fundamental para assegurar o empate com a Ponte Preta fora de casa, com defesas incríveis, principalmente no segundo tempo, quando, nos últimos minutos, o Novorizontino ficou com um jogador a menos. No lance mais incrível, aos 41 minutos do primeiro tempo, quando Silvinho ficou frente a frente e poderia marcar, mas o goleiro fez uma linha defesa.

Lateral: Daniel Guedes (Santos)

Jair Ventura está com uma ‘boa dor de cabeça’ para cuidar no CT Rei Pelé. Se Victor Ferraz está com o ombro lesionado e ainda não tem condições de jogar, Daniel Guedes assumiu a posição e, em apenas dois jogos, já tem duas assistências. Contra a Ferroviária, foi dele o cruzamento para o primeiro gol de Gabriel Barbosa em seu retorno ao Santos.

Zagueiro: Tiago Alves (Red Bull Brasil)

Teve que lidar com o peso de segurar o ímpeto do adversário depois que o técnico Ricardo Catalá perdeu Rayne lesionado no segundo tempo. Tiago Alves teve boa postura defensiva, jogou de forma segura, sem comprometer. Jogou o simples e o básico, o que, para um zagueiro, as vezes é o melhor estilo de jogo. Acabou saindo com o empate de São Caetano.

Zagueiro: Luan (Ferroviária)

Saiu de campo como um dos principais personagens da partida e não apenas pelo seu posicionamento defensivo. Luan foi o herói da Ferroviária aos 31 minutos do segundo tempo, quando aproveitou um cochilo da marcação do Santos para decretar o empate por 1 a 1 na Arena Fonte Luminosa. Acertou um chute de rara felicidade após cobrança de falta de Velicka.

Lateral: Mateus Mascarenhas (Botafogo)

A presença de Mascarnheas no campo de ataque foi constante. Ele soube explorar bem as deficiências do da defesa do Ituano e deu bastante trabalho com jogadas de velocidade e cruzamento perigosos, que não foram aproveitados pelos companheiros.

Volante: Jeferson (Ponte Preta)

Em sua posição de origem, no meio de campo, e sem ter que atuar improvisado na lateral, Jeferson conseguiu mostrar um bom rendimento com a camisa da Ponte Preta e foi importante no empate por 1 a 1 com o Novorizontino. Fechou bem os espaços, dobrou a marcação e acabou substituído no segundo tempo, lesionado.

Meia: Celsinho (São Bento)

Ditou o ritmo do São Bento em Sorocaba e poderia sair de campo como o herói do jogo, se o time não tomasse o empate por 2 a 2 aos 47 minutos do segundo tempo, que caiu como um banho de água fria. O meia marcou o primeiro gol e literalmente foi o motorzinho do grupo, trabalhando a posse de bola e sempre buscando um companheiro desmarcado.

Meia: Nene (São Paulo)

Marcou o seu primeiro gol com a camisa do São Paulo e ele saiu justamente dentro do Morumbi. Em jogo adiantado contra o Bragantino, o camisa sete sofreu um pênalti e pediu para cobrar, deixando a sua marca na vitória por 1 a 0 em cima do Bragantino, que decretou a terceira vitória consecutiva do elenco e na liderança do grupo.

Meia: Hugo Cabral (Santo André)

O Santo André perdia por 1 a 0 para o Corinthians, mas Hugo Cabral mudou o jogo. Ele não balançou as redes, mas sua movimentação de um cara nova ao Ramalhão e incomodou muito a defesa corintiana, que bateu cabeça e teve dificuldades em pará-lo.

Atacante: Bruno Moraes (Botafogo)

Esse tem faro de gol. Sempre presente e bem posicionado próximo à área, incomodou bastante os marcadores e apesar da demorar, deixou o seu. Aos 43 minutos do segundo tempo, mostrou que tem estrela e marcou o gol da vitória botafoguense, seu quarto no estadual.

Atacante: Borja (Palmeiras)

A cada jogo que passa o atacante cala as críticas da torcida e da imprensa. Mais uma vez foi fundamental para a vitória do Palmeiras, deixou seu gol, sofreu o pênalti que Dudu converteu mais tarde e ainda entrou na briga pela artilharia do campeonato, com três tentos anotados na temporada, atrás apenas do seu companheiro de seleção, Bruno Moraes, que tem quatro.

Técnico: Léo Condé (Botafogo)

Conquistou uma vitória importantíssima contra o Ituano e assumiu a liderança do Grupo D do Campeonato Paulista, à frente do Santos. Com três vitórias, é o melhor clube do interior do estado, com nove pontos, igualado com o São Bento, mas uma vitória a mais nos critérios de desempate. Tudo isso passa pelas mãos de Léo Condé, que ajeitou o time, encontrou uma forma consistente de jogar e caiu nas graças da torcida.

 
 
" />