Após Bolsonaro alfinetar futebol feminino, Marta responde: "Uns serão lembrados..."

O presidente segue criando polêmicas, invés de trabalhar em prol da comunidade brasileira

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 18 (AFI) - O presidente Jair Messias Bolsonaro mostrou pouco entusiasmo com o início da vacinação no Brasil, mas não perdeu tempo de cometer mais uma de suas gafes, a mais nova sobre uma das questões realizadas pelo Enem, na qual comparava os ganhos de Neymar com a Rainha Marta.

Ao lado de seus fieis seguidores, o presidente, que vem sendo muito criticado pelo pouco caso com a covid-19 e a perda de mais de 200 mil brasileiro devido à covid-19, Bolsonaro rebaixou o futebol feminino, que tem crescido significantemente no Brasil.

"O banco de questões do Enem não é do meu governo, é de governos anteriores. Têm questões ali ridículas ainda, ridículas, tratando de assuntos... Comparando mulher jogando futebol e homem. Por que a Marta ganha menos que o Neymar? Não tem que ter comparação. O futebol feminino ainda não é uma realidade no Brasil", afirmou Bolsonaro.

Marta é uma das principais jogadoras (os) do futebol brasileiro
Marta é uma das principais jogadoras (os) do futebol brasileiro
"O que o Neymar ganha por ano, todos os times de futebol juntos no Brasil não faturam por ano. Como vai pagar para a Marta o mesmo salário? Isso chama-se iniciativa privada. Ela que faz o salário, ela que mostra para onde o mercado deve ir. Então fazem questões absurdas sempre pregando a igualdade, mas por baixo", completou.

Marta não ficou calada com a declaração do 'mito' e respondeu de uma forma educada, com um conteúdo oculto, mas que todos sabem o significado. "

"Uns serão lembrados como os melhores da história. Já outros...", falou a considerada principal jogada brasileira da história do futebol feminino.

A PROVA!
Na questão, o Enem comparava os salários de Marta e Neymar de 2017. Na ocasião, ela recebia 400 mil dólares anuncias, contra 14,5 milhões do atacante do PSG. Os gols também foram analisado. A Rainha havia marcado 103 pela seleção. Já o ex-santista apenas 50.

A questão ainda listava cinco características que identificavam o futebol e suas relações sociais.