PELÉ : A vida do Rei do Futebol, ano a ano, com histórias, gols e conquistas

Uma descrição, ano a no, da vida do Rei do Futebol. Um trabalho detalhista do consultor José Renato Sátiro Santiago.

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 23 (AFI) - Pelé, o maior jogador de futebol de todos os tempos, comemora 80 anos neste dia 23, sexta-feira. De cadeira de rodas, longe da imprensa e sempre lembrado por todos os lados do mundo.

Abaixo está uma descrição, ano a no, da vida do Rei do Futebol. Um trabalho detalhista do consultor José Renato Sátiro Santiago.

1940
Nasce em Três Corações, Minas Gerais

Filho de dona Celeste Arantes e de João Ramos do Nascimento, o Dondinho, nasce na cidade mineira de Três Corações, em 23 de outubro de 1940, Edson Arantes do Nascimento, cujo nome foi escolhido pelo pai em homenagem ao inventor Thomas Alva Edison.

PELÉ - O REI E SEUS 1000 GOLS

1941
Ganha dos pais o apelido de Dico

Ganha dos pais, seu primeiro apelido, Dico, nome pelo qual sempre foi e até hoje é chamado pelos membros mais próximos da família.

1942
Nascimento do irmão Zoco

Em 22 de julho, nasce o irmão Jair Arantes do Nascimento, o Zoca, que viria a se tornar jogador de futebol, com algum destaque no Noroeste de Bauru e que, posteriormente, chegaria a atuar no Santos. Comparações com o irmão famoso, fez com que abandonasse a carreira precocemente.

1943
Dondinho muda para Lorena

Após uma tentativa frustrada de atuar pelo Atlético Mineiro, onde jogou apenas uma partida, Dondinho recebe uma proposta para atuar na equipe do Hepacaré, na cidade paulista de Lorena, no Vale do Paraíba, e a família toda se muda para lá.

1944
Como surgiu o apelido Pelé

Surge nova proposta, desta vez para atuar no Vasco da Gama, da cidade mineira de São Lourenço, que tinha um goleiro chamado Bilé. A torcida costumava gritar “Boa Bilé”, o que acabou ficando na cabeça do pequeno Dico. Quando brincava de ficar no gol, o menino passou a se intitular Bilé. A dificuldade dos seus amiguinhos, em chamá-lo de Bilé, acabou fazendo com que surgisse Pelé.

1945
Pai se muda para Bauru

Contratado pelo Lusitana que, em 1946, viria a se tornar Bauru Atlético Clube, o BAC, e com a promessa de um emprego público, Dondinho chega a Bauru em setembro, juntamente com a mulher, Celeste, a mãe, dona Ambrozina, o cunhado, Jorge Arantes, e os filhos, Maria Lúcia, Jair, o Zoca e Edson, o Dico.

Em 2016 no Centenário da Vila Belmiro com ex-companheiros
Em 2016 no Centenário da Vila Belmiro com ex-companheiros

1946
Vê pai ser campeão pelo BAC

Em 26 de maio, Dico tem sua primeira alegria no futebol ao comemorar, com seu pai, o título de campeão do interior, após vitória do BAC por 4 a 1 frente o Cruzeiro, em competição equivalente à atual Série A2 do campeonato paulista. Dondinho era um atacante com boa finalização e dono de um bom passe.

1947
Chama atenção dos colegas na escola

De uniforme escolar, calça azul-marinho e blusa branca, estudando no Grupo Escolar Ernesto Monte, Pelé passa a chamar a atenção de seus coleguinhas por conta de seu grande domínio de bola.

1948
Vira o destaques nos rachas

Figura conhecida nos campinhos da cidade, Pelé mostra muita habilidade nos “rachas”, jogos com tempo marcado ou “vira cinco acaba de dez” tendo como companheiras bolas de meia, de borracha e raríssimas vezes, de couro. Neste tempo, juntamente com alguns amigos, cria o seu primeiro time, o Sete de Setembro.

1949
Veste uniforme do Cruzeirinho aos 8 anos

Com apenas 8 anos, atua pela primeira vez com uniforme, no Cruzeirinho, time formado por garotos bem mais velhos, alguns deles com 16 anos. Ainda assim o menininho de canelas finas já se destaca dentre os demais.

1950
Promete ao pai que seria campeão do mundo

Em 16 de julho, ao testemunhar seu pai, Dondinho às lágrimas por conta da derrota da seleção brasileira por 2 a 1, na final da Copa do Mundo, em pleno estádio do Maracanã, frente ao Uruguai, Pelé promete ao pai que será campeão mundial para ele.

1951
Joga calçado pela primeira vez

Pela primeira vez, Pelé joga calçado ao defender o Ameriquinha, time criado por Geraldo Gonçalvez, o Pico, que era funcionário de uma fábrica de botas, onde o menino chegou a fazer alguns bicos. O vestiário era na casa de seu amigo, Aniel, com quem jogaria no BAC.

1952
Goleador dondinho encerra carreira aos 39 anos

Aos 36 anos de idade, tendo atuado pelo BAC em 199 partidas e marcado 137 gols, Dondinho encerra sua carreira. A partir daí, o sonho da família junto ao futebol passa a se concentrar no menino Pelé.

1953
Proibido de passar do meio-campo

Inscrito pela equipe infantil do Radium para disputar um torneio, após marcar nove gols na partida de estreia, vencida por 10 a 0, frente aos Marianos de Santa Therezinha, Pelé é proibido de passar do meio de campo durante os jogos, podendo atuar apenas como goleiro ou na defesa.

1954
Sonho de ajudar Brasil ser campeão

Após a eliminação do Brasil na Copa do Mundo realizada na Suíça, enquanto ia com os amigos para o campo do BAC, com quem assinara seu primeiro contrato, ainda como infanto-juvenil, Pelé afirma: “Se Deus quiser, um dia vou jogar num time grande, vou para a seleção e quero ajudar o Brasil a ser campeão do mundo.”

1955
Comemorou título paulista do Corinthians

Juntamente com o amigo Raul, Pelé está no campo do Noroeste, em 6 de fevereiro, quando o alto-falante informa o final da partida, realizada no Pacaembu, entre Corinthians e Palmeiras, 1 a 1, e a conquista do título paulista de 1954 pelos alvinegros. Ambos começam a comemorar e a festejar com outros corintianos.

1956
Marca seu primeiro gol pelo Santos

Em 7 de setembro, Pelé marca, aos 36 minutos do segundo tempo, o sexto gol da goleada do Santos frente ao Corinthians de Santo André, por 7 a 1, seu primeiro gol em sua carreira profissional, em cima do goleiro Zaluar, em partida amistosa realizada no estádio Américo Guazzelli, em Santo André.

1957
Estreia pela seleção brasileira

Em partida válida pela Copa Roca, no estádio do Maracanã, em 7 de julho, Pelé faz sua estreia com a camisa da seleção brasileira, marcando gol aos 32 minutos do segundo tempo, sobre o goleiro Carrizo, na derrota por 2 a 1 frente a seleção argentina.

1958
É campeão do mundo aos 17 anos na Suécia

Com apenas 17 anos, Pelé se apresenta ao mundo, ao conquistar com a seleção brasileira a Copa do Mundo realizada na Suécia, marcando dois gols na final disputada frente os suecos, na vitória por 5 a 2, em partida realizada no estádio de Rasunda, no dia 29 de junho.

1959
Gol e título sobre a Argentina

Marca o gol do empate da seleção brasileira, por 1 a 1 frente a Argentina, em partida realizada em 4 de abril no estádio Monumental de Núñez, na cidade de Buenos Aires, que decidiu a Copa América, se tornando artilheiro da competição com 8 gols marcados e vice-campeão.

1960
Gol e título paulista em cima do Palmeiras

Pelé marca o gol da vitória por 2 a 1 frente ao Palmeiras, em partida realizada na Vila Belmiro em 16 de dezembro, conquista seu segundo título paulista e, pela quarta vez consecutiva, é o artilheiro da competição, com 34 gols marcados.

1961
Gol de Placa no Maracanã

Em partida disputada no Maracanã, em 5 de março, válida pelo Torneio Rio-São Paulo, frente o Fluminense, Pelé marca 2 gols da vitória por 3 a 1. O segundo deles, aos 40 minutos do primeiro tempo, após driblar vários adversários e vencer o goleiro Castilho, dá origem a expressão “gol de placa” por sugestão do jornalista Joelmir Beting.

1962
Faz 3 gols no Benfica em Portugal

No dia 11 de outubro, no estádio da Luz, em Lisboa, Pelé marca 3 gols, no massacre santista por 5 a 2 frente o Benfica, na partida válida pela final do Mundial Interclubes. Trata-se da primeira conquista de um título mundial por uma equipe brasileira, uma vez que o Santos já tinha vencido a primeira partida no Maracanã, 3 a 2.

1963
Marca no Boca Juniors pela final da Libertadores

Pelé marca o gol da vitória de 2 a 1 do Santos frente ao Boca Juniors, em partida válida pela final da Taça Libertadores, disputada em 11 de setembro no estádio La Bombonera em Buenos Aires, e conquista o bicampeonato da competição. O alvinegro tinha vencido por 3 a 2 a primeira partida realizada no estádio do Maracanã.

1964
Ele jogou no gol

Em partida disputada no dia 19 de janeiro, válida pelas semifinais da Taça Brasil de 1963, no estádio do Pacaembu, na vitória do Santos frente ao Grêmio por 4 a 3, após a expulsão do goleiro Gylmar, Pelé, que houvera marcado os 4 gols santistas, vai para o gol, faz algumas defesas e garante o triunfo santista.

1965
Gol do título da Taça Brasil

Na decisão da Taça Brasil, em 8 de dezembro, no estádio do Maracanã, Pelé marca aos 21 minutos do segundo tempo, o gol da vitória do Santos por 1 a 0 frente o Vasco da Gama, e conquista, de forma consecutiva, seu quinto e último título da competição.

1966
Caçado na Inglaterra

Em partida válida pela primeira fase da Copa do Mundo, frente à seleção portuguesa, em 19 de julho, no Goodison Park em Liverpool, Pelé é caçado em campo pelos defensores portugueses e sofre sua única derrota em partida válida pela Copa do Mundo, por 3 a 1.

1967
Sétimo título paulista

Conquista seu sétimo título paulista em 21 de dezembro, na vitória do Santos frente ao São Paulo por 2 a 1 em partida extra realizada no estádio do Pacaembu.

1968
Torcida exige volta após ser expulso

Em 17 de julho, no estádio El Campin, na cidade colombiana de Bogotá, em partida amistosa do Santos frente a seleção olímpica da Colômbia, vitória santista de 4 a 2, após ser expulso, ainda no primeiro tempo, pelo árbitro Guilhermo Velázques, uma confusão generalizada se instaura na partida, com a torcida exigindo o retorno de Pelé. O árbitro acaba sendo substituído.

1969
O Miléssimo gol no Maracanã

No estádio do Maracanã, em partida válida pelo Torneio Roberto Gomes Pedrosa, em 19 de novembro, na vitória por 2 a 1 frente o Vasco da Gama, Pelé marca aos 34 minutos do segundo tempo, em uma cobrança de pênalti, contra o arqueiro argentino Andrada, o seu gol de número de 1.000.

1970
Tricampeão do mundo no México

Em 21 de junho, Pelé conquista sua terceira Copa do Mundo pela seleção brasileira, na vitória por 4 a 1 frente a seleção italiana, em final disputada no estádio Azteca, na Cidade do México. O primeiro gol de cabeça, marcado por Pelé, aos 18 minutos do primeiro tempo, é considerado um dos mais incríveis da história do futebol.

1971
Despedida da Seleção Brasileira

Pelé se despede da seleção brasileira no empate por 2 gols frente a seleção iugoslava em partida amistosa disputada no estádio do Maracanã, em 18 de julho. Ao final do primeiro tempo, o Rei recebe todas as camisas dos jogadores brasileiros e dá a volta olímpica aos gritos de “Fica, fica.”

1972
Partida 1000 pelo Santos

Em 3 de dezembro, no estádio Presidente Vargas, na cidade de Fortaleza, Pelé realiza sua partida de número 1000 com a camisa do Santos, na derrota por 2 a 1 frente ao Ceará, em jogo válido pelo campeonato brasileiro. O gol santista foi marcado por ele aos 11 minutos do primeiro tempo.

1973
Décimo título paulista

Pelé conquista seu décimo e último campeonato paulista ao enfrentar a equipe da Portuguesa na final disputada no estádio do Morumbi em 26 de agosto. Por conta de um erro na contagem das cobranças dos pênaltis, o título é dividido com a Lusa. Também foi artilheiro da competição pela décima primeira vez, com 11 gols.

1974
Despedida do Santos contra a Ponte Preta

Em 2 de outubro, Pelé se despede oficialmente do Santos, em partida válida pelo campeonato paulista, vitória por 2 a 0 frente a Ponte Preta, na Vila Belmiro. Aos 20 minutos do primeiro tempo, por volta das 21h20, se ajoelha no meio do campo, dá uma volta olímpica ao redor do campo e deixa o jogo.

1975
Marca dois na estreia pelo Cosmos

Contratado pelo New York Cosmos, Pelé estreia na equipe norte-americana em 15 de junho em partida frente ao Dallas Tornado, realizada no estádio Downing, em Nova York. Após estar perdendo por 2 a 0, coube a ele dar o passe para o primeiro gol de sua equipe e posteriormente marcar, de cabeça, o tento de empate.

1976
Participa em jogo beneficente

Em partida realizada no estádio do Maracanã, no dia 6 de outubro, em prol da família do jogador Geraldo, do Flamengo, que havia falecido vítima de uma cirurgia para extrair as amígdalas, Pelé atua pela seleção brasileira na derrota por 2 a 0 para o Flamengo.

1977
Despedida do futebol

Atuando um tempo em cada equipe, Pelé se despede oficialmente do futebol, em partida amistosa realizada em 1º de outubro, no Giant Stadium na cidade de Nova York, Santos 1x2 New York Cosmos, marcando, aos 43 minutos do primeiro tempo, um gol de falta pela equipe norte-americana.

1978
Joga pelo Fluminense na Nigéria

Em 26 de abril, durante uma excursão do Fluminense à Nigéria, por conta da grande expectativa gerada por sua presença no estádio, Pelé é “convidado” pelas autoridades locais a atuar pela equipe tricolor, uma vez que, a princípio, apenas daria o pontapé inicial. A equipe carioca vence o Racca Rovers por 2 a 1.

1979
Joga ao lado de zico para 140 mil

Em partida amistosa realizada no estádio do Maracanã em 6 de abril, com um público de quase 140 mil pessoas, promovida em prol dos flagelados das enchentes em Minas Gerais, Pelé atua pelo Flamengo, ao lado de Zico, na vitória por 5 a 1 frente ao Atlético Mineiro.

1980
Eleito o Atleta do Século

No suplemento especial do jornal francês “L’Equipe” publicado em 12 de julho é divulgada a escolha de Pelé como o Atleta do Século de todos os esportes, em votação que contou com a participação de jornalistas das 20 mais influentes publicações de esporte do mundo.

1981
Estrela de filme

Pelé atua no filme “Escape to Victory”, em português “Fugindo para a Vitória”, dirigido por John Huston. No filme, ambientado na II Guerra Mundial, Pelé marca um gol de bicicleta, em partida realizada entre uma seleção de prisioneiros de um campo de concentração e a seleção alemã.

1982
Reagan se apresenta a Pelé

“Eu sou Ronald Reagan, Presidente dos Estados Unidos. Mas, você não precisa se apresentar porque Pelé todo mundo sabe quem é.” Foram com estas palavras que Ronald Reagan recebe Pelé na Casa Branca para um encontro que durou mais de três horas, em outubro daquele ano.

1983
Joga em Goiânia por vítimas de enchentes

Em 21 de julho, Pelé vem diretamente de Nova York para participar de partida amistosa realizada no estádio Serra Dourada, em Goiânia, que reuniria os jogadores da seleção brasileira, juntamente com atletas das regiões sul e sudeste, em prol das vítimas das enchentes que atingiram o estado de Santa Catarina.

1984
Liga Americana fecha as portas

Sete anos após Pelé ter abandonado sua carreira, atuando pelo clube, o New York Cosmos, com quem fora campeão em 1977, encerra suas atividades em 15 de setembro, o que acaba contribuindo para o término da Liga norte-americana de futebol, a North American Soccer League, NASL.

1985
Vira filme no Brasil

Pelé estrela o filme Pedro Mico, dirigido por Ipojuca Pontes. Contando com um elenco formado por atores consagrados, dentre os quais se destacam Tereza Rachel, Jorge Dória e Lutero Luiz. A voz de Pelé é dublada pelo ator Milton Gonçalves.

1986
Brinca em jogar na Copa do México

Às vésperas da Copa do Mundo, Pelé se coloca a disposição do técnico Telê Santana para fazer parte do grupo de jogadores que iria ao México, ao afirmar: “Bem preparado fisicamente, disputaria brincando mais uma Copa do Mundo. Tecnicamente me sinto em grande forma. Não esqueci nada daquilo que fiz durante 20 anos com a bola”.

1987
lance incrível na Seleção de Master

Em 4 de janeiro de 1987, Pelé atua pela seleção brasileira de Master, comandada pelo narrador Luciano do Valle, na estreia da I Copa Pelé, vitória por 3 a 0 frente a seleção italiana, em partida disputada no estádio do Pacaembu. O Rei leva a torcida ao delírio ao tentar, após roubar a bola que estava nas mãos do goleiro Albertosi, marcar um gol de bicicleta.

1988
Revela desgosto pela ditadura

Em novembro, Pelé revela em entrevista que resolveu abandonar a seleção brasileira por conta do regime militar: “Muita gente não sabe, mas não joguei a Copa de 1974 por desgosto em relação ao regime político do país. Era a época da ditadura”.

1989
Homenageado em música de Chico Buarque

Juntamente com outros grandes nomes do futebol brasileiro, Pelé é homenageado por Chico Buarque com a música “O Futebol”. Na letra o compositor escreve o seguinte trecho: “Para Mané para Didi para Mané, Mané para Didi para Mané para Didi para Pagão para Pelé e Canhoteiro”.

1990
Joga em Milão aos 50 anos

Em homenagem aos seus 50 anos, Pelé participa do amistoso frente a seleção do Resto do Mundo, derrota por 2 a 1, em 31 de outubro, no estádio Giuseppe Meazza, em Milão. Poderia ter marcado seu último gol, ao entrar sozinho na área no ataque brasileiro, no entanto, o atacante Rinaldo preferiu chutar, sem sucesso, ao gol, em vez de dar o passe ao Rei.

1991
Condecorado pela Ordem Nacional

Por conta dos relevantes serviços prestados à nação brasileira, Pelé é condecorado pelo presidente da república, Fernando Collor de Mello, com a Ordem Nacional do Mérito.

1992
Vira nome de rua em Montevideú

Como sinal de admiração singular por Pelé, atleta que competia com muito afinco contra a seleção local, é inaugurada na capital uruguaia, Montevidéu, com a presença do presidente da República Luis Alberto Lacalle, a Rua Pelé.

1993
Brinca e diz que vai chegar aos 100 anos

Em entrevista para a edição de agosto da revista Playboy, Pelé afirma: “eu sempre brinco com a minha família dizendo que meus amigos têm de começar a se preparar porque eu vou completar 100 anos e dar o pontapé inicial num jogo no Maracanã. Aos 100 anos tenho certeza de que chegarei, até porque temos antecedentes em casa.”

1994
Como comentarista vê Brasil ser tetra

Trabalhando como comentarista da Rede Globo de Televisão, Pelé vive, segundo suas próprias palavras, um dos momentos mais felizes de sua vida, ao comemorar o tetracampeonato mundial da seleção brasileira, após vitória por 3 a 2 na decisão por pênaltis frente à Itália, em 17 de julho, na Copa do Mundo disputada nos Estados Unidos.

1995
Assume Ministério Extraordinário dos Esportes

Em 3 de janeiro, a convite do presidente da república, Fernando Henrique Cardoso, Pelé assume o Ministério Extraordinário dos Esportes, cargo que exerceu até maio de 1998.

1996
Oferece placa para Marcelinho Carioca

Ao testemunhar um lindo gol marcado pelo jogador corintiano Marcelinho Carioca sobre o seu filho Edinho, goleiro do Santos, em jogo válido pelo campeonato paulista, realizado na Vila Belmiro, em 11 de fevereiro, Pelé oferece uma placa em homenagem ao atacante.

1997
Titulo de Sir-Cavaleiro da Inglaterra

Em 3 de dezembro, Pelé recebe das mãos da Rainha Elizabeth II, o título de Sir-Cavaleiro Honorário do Império Britânico, comenda equivalente em importância ao título de “sir” dado somente aos britânicos.

1998
Promulgada a Lei Pelé que muda futebol nacional

É promulgada em 24 de março de 1998, a Lei 9.615, mais conhecida como Lei Pelé, idealizada pelo então ministro Pelé, que dentre outras decisões, muda a legislação vigente sobre o passe e institui o direito do consumidor nos esportes.

1999
Novamente eleito como Atleta do Século

Eleito o “Futebolista do Século” pela International Federation of Football History and Statistics e pela revista francesa France Football. Já o Comitê Olímpico Internacional, após uma votação que reuniu todos os Comitês Olímpicos Nacionais associados, elege Pelé o “Atleta do Século”.

2000
Laureaus World das mãos de Mandela

Em votação que contou com a participação de ex-atletas e ex-treinadores, Pelé é escolhido o “Jogador de Futebol do Século XX” pela FIFA e recebe das mãos do presidente sul-africano Nelson Mandela, o Laureus World Sports Awards por sua carreira.

2001
Faz homenagem a Joelmir Beting

Após 40 anos de aniversário do “gol de placa”, expressão criada por Joelmir Beting, Pelé retribui a placa com a seguinte inscrição: “Ao Joelmir Beting, o idealizador da placa do Gol de Placa, o reconhecimento de quem fez o gol. Minha gratidão por essa homenagem eterna. Pelé.”

2002
Entrega a Cafu taça de pentacampeão do mundo

Juntamente com o presidente da FIFA, Joseph Blatter, Pelé entrega a taça de campeão do mundo, o pentacampeonato, ao capitão Cafu, após vitória brasileira por 2 a 0 frente à Alemanha, em partida final realizada na cidade de Yokohama no Japão, no dia 30 de junho.

2003
Encabeça campanha mundial sobre impotência

Pelé encabeça uma campanha mundial promovida pela empresa farmacêutica norte-americana Pfizer, para elevar a consciência das pessoas sobre a deficiência orgânica erétil, a impotência.

2004
Premiado com Ordem da Fifa

Pelé é premiado com a Ordem de Mérito da FIFA, a mais alta honraria concedida pela FIFA, pela segunda vez, a primeira fora em 1984, pela contribuição significativa ao futebol. Desta vez, a premiação acontece durante as comemorações ao centenário da entidade.

Pelé e Beckenbauer no Empire States
Pelé e Beckenbauer no Empire States

2005
Recebe prêmio da BBC de Londres

Pelé recebe o BBC Sports Personality of the Year Lifetime, prêmio oferecido anualmente pela emissora britânica BBC, British Broadcasting Corporation, a um atleta que, ao longo de sua vida, contribuiu de forma impactante ao mundo do esporte.

2006
Pressentimento ruim contra a França

Antes da partida entre Brasil e França, realizada em 1º de julho, válida pelas quartas de finais da Copa do Mundo disputada na Alemanha, Pelé afirma estar com um mau pressentimento quanto ao resultado da partida. Ao final dela, a vitória francesa por 1 a 0, elimina o Brasil da competição.

2007
Convidado de honra aos clube mais velho do mundo

Em 8 de novembro, Pelé é o convidado de honra da partida realizada em comemoração ao aniversário de 150 anos do clube mais antigo do mundo, o Sheffield Football Club. Naquele dia, a Internazionale de Milão venceu os ingleses por 5 a 2.

2008
Marta é 'minha versão de saia"

Tão logo a Seleção Brasileira Feminina perde a disputa pela Medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim por 1 a 0 para a Seleção Norte Americana, em 21 de agosto, Pelé afirma ser a atleta Marta, a sua versão “de saia”.

2009
Na Guiana para clube com seu nome

Pelé visita Georgetown, na Guiana, para acompanhar a partida entre duas equipes criadas em sua homenagem: Pelé Football Club e Santos Football Club. Com a presença de um grande público que o ovacionou ao longo de toda partida, Pelé, equipe dissidente do Santos, venceu por 4 a 1.

2010
Presidente honorário do Cosmos de Nova York

Em comemoração ao ressurgimento do New York Cosmos, equipe em que atuou entre os anos de 1975 e 1977, em 1° de agosto Pelé é apresentado como presidente honorário do clube.

2011
Entrega taça da Libertadores a Edu Dracena, do Santos

Em 23 de junho, Pelé entrega a taça de campeão da Taça Libertadores da América ao capitão santista Edu Dracena, após vitória por 2 a 1 frente a equipe uruguaia do Peñarol, em partida disputada no estádio do Pacaembu.

Pelé em 2011 no titulo da Libertadores do Santos
Pelé em 2011 no titulo da Libertadores do Santos

2012
Doutor Honoris em Edimburgo

Pelé é premiado com seu primeiro diploma de uma universidade europeia, o título de Doutor honoris causa pela Universidade de Edimburgo “pela significativa contribuição para causas humanitárias e ambientais, bem como as suas conquistas esportivas”.

2013
Sorteio da Copa do Mundo do Brasil

Em 6 de dezembro, Pelé participa na Costa do Sauípe, na Bahia, do sorteio dos grupos para a Copa do Mundo do Brasil, reafirmando o desejo de que seus filhos não vejam a cena que ele presenciou em 1950, do seu pai chorando por conta da perda da Copa.

2014
Reconhece que Copa foi desastrosa em 2014

Em entrevista ao jornal inglês The Guardian, Pelé afirma que a Copa do Mundo de 2014 foi desastrosa para a seleção brasileira e que “só Deus pode explicar” os dois resultados finais do Brasil no torneio — derrotas por 7 a 1 para a Alemanha e 3 a 0 para a Holanda.

2015
Inaugura sua estátua na Índia

Em 12 de outubro, em visita a Índia, onde inaugura uma estátua sua, Pelé afirma que os recentes problemas da seleção brasileira se devem, em grande parte, aos empresários, e que os melhores jogadores do mundo continuam saindo do Brasil.

2016
Casa de novo

Em 9 de julho, Pelé e Márcia Aoki oficializaram sua união com uma grande festa, no Guarujá, em São Paulo. O casal se conheceu na década de 1980, durante uma festa em Nova York, nos Estados Unidos, mas começaram a namorar somente em 2010, após reencontro inusitado dentro de um elevador do prédio onde moravam na Alameda Jaú, em São Paulo. Pelé foi casado de 1966 a 1982 com Rosemeri dos Reis Cholbi, com quem teve três filhos, Edinho, Jennifer e Kelly, e com Assíria Nascimento entre 1994 e 2008, mãe dos gêmeos Joshua e Celeste.

2017
Pelé - Nascimento de uma lenda - filme nos Estados Unidos

Dirigido por Jeff Zimbalist e Michael Zimbalist, é lançado o filme, de produção norte-americana, “Pelé — O Nascimento de uma Lenda”, uma obra que, com alguma dose de ficção, apresenta o início da trajetória do maior jogador de futebol do mundo.

2018
De bengala, Pelé não vai à Copa da Rússia

Após passar por três cirurgias nos últimos anos, ainda em recuperação, mas usando bengala, Pelé não pode ir à Russia assistir ‘in loco’ à Copa do Mundo de 2018. Apesar disso, em entrevista, brinca com o então técnico da seleção brasileira, Tite: “Se você continuar de treinador da Seleção, a próxima Copa vai ser a última que vou jogar. Depois disso, não me convoca mais”.

2019
Cancela compromisso na França

Após um compromisso público com o atacante Kylian Mbappé, atleta francês que fora destaque da Copa do Mundo de 2018, Pelé se sentiu mal e precisou ser hospitalizado em Paris. De volta ao Brasil, ficou internado, por mais uma semana, no hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ao receber alta, postou no twitter: “Meus caros amigos. Eu estou feliz de escrever novamente para avisar que estou bem. Quero agradecer a equipe médica do Hospital Albert Einstein e, especialmente a vocês, pelas preces e energia positiva. Estou de volta ao campo, com sede de novos gols na vida”

2020
Nega à CNN que esteja em depressão

Em entrevista exclusiva à CNN Brasil, em março, Pelé comentou sobre as dificuldades de locomoção por problemas de quadril e negou rumores sobre estar com depressão, o que fora divulgado por seu filho Edinho.

“Essa coisa da depressão, não sei se entenderam mal, porque nesses últimos dois anos eu tive contusão, operação do fêmur, e aí, quando começava a treinar ou a fazer um comercial, eu tinha que parar. Começaram a se preocupar e eu agradeço muito isso. Mas aí inventaram que eu estava deprimido”.


Consultor e Professor, atua e escreve sobre temas relacionados a Gestão do Conhecimento, Inovação, Pessoas, Projetos e Lições Aprendidas