Em seu 2º Mundial, meia Andressinha se diz 'mais preparada' para jogar o torneio

Naquela ocasião, mesmo com apenas 20 anos, a atleta foi titular em três dos quatro jogos daquela campanha do Brasil

por Agência Estado

Campinas, SP, 10 - Com 24 anos, a meio-campista Andressinha disputa com a seleção brasileira de futebol, na França, o seu segundo Mundial. Há quatro anos, no Canadá, a jogadora integrou a equipe nacional que acabou sendo eliminada pela Austrália nas oitavas de final da edição passada da competição.

Naquela ocasião, mesmo com apenas 20 anos, a atleta foi titular em três dos quatro jogos daquela campanha do Brasil, que ela também defendeu em outros dois Mundiais (Sub-17 e Sub-20) pela seleção de base, com a qual ainda participou dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio.

Com isso, Andressinha chegou para este Mundial com uma boa experiência acumulada e agora se sente mais pronta do que estava, há quatro anos, para disputar a competição mais importante do futebol feminino.

Em seu 2º Mundial, meia Andressinha se diz 'mais preparada' para jogar o torneio
Em seu 2º Mundial, meia Andressinha se diz 'mais preparada' para jogar o torneio
"A gente sabe que a dificuldade é muito maior na (seleção) principal, mas agora me sinto mais preparada ainda. Eu já me sentia em 2015, me sentia super confortável, se o Vadão tinha me dado oportunidade de ser titular é porque eu tinha potencial pra fazer aquilo. Agora, depois de quatro anos, me sinto mais preparada ainda pra encarar outra Copa do Mundo", destacou a jogadora, em declarações reproduzidas nesta segunda-feira pelo site oficial da CBF.

JOGOU MUITO
Há quatro anos, Andressinha chegou a ser eleita pela Fifa a melhor jogadora do partida em que o Brasil venceu a Costa Rica por 1 a 0, na cidade canadense de Moncton, pela rodada final da fase de grupos do Mundial de 2015. Naquela ocasião, ela deu a bela assistência que resultou no gol de Raquel, que recebeu um passe que a companheira fez para ela ainda do meio do campo.

"Naquele jogo eu tive um desempenho muito legal, fui escolhida a melhor jogadora da partida, levei o quadro pra casa, tenho guardado até hoje e foi um jogo que a gente venceu, eu dei o passe pro gol da Raquel. Foi bem bonito porque foi de primeira e foi um jogo que marcou bastante. Eu estava com 20 anos, era a mais nova do grupo, e ser escolhida a melhor jogadora em uma partida sendo tão nova foi super importante pra mim", disse a meio-campista.

O Brasil conquistou a sua terceira vitória em três jogos naquela partida e assegurou a ponta do Grupo E, que também contou com Espanha e Coreia do Sul. Logo em seguida, porém, as brasileiras foram superadas por 1 a 0 pela Austrália nas oitavas de final.

Na quinta-feira, às 13 horas (de Brasília), em Montpellier, a seleção brasileira terá a sua revanche diante das australianas, adversárias no confronto válido pela segunda rodada do Grupo C da competição. Em seguida, no dia 18, o time nacional fechará campanha contra a Itália, às 16 horas, em Valenciennes.