Arthur defende Neymar e diz que modelo 'só queria audiência e ganhar seguidores'

O meia do Barcelona concedeu entrevista coletiva nessa sexta-feira, no Beira-Rio, em Porto Alegre

por Agência Estado

Porto Alegre, RS, 07 (AFI) - O volante Arthur concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira após o treinamento da seleção brasileira no estádio Beira-Rio, palco do amistoso de domingo contra Honduras, às 16 horas, em Porto Alegre, palco do último teste antes da estreia na Copa América.

Mais uma vez as perguntas ficaram em torno de Neymar. Arthur saiu em defesa do companheiro de seleção e atacou a modelo Najila Trindade, que acusa o craque de estupro. "Era isso que ela queria, dar entrevista em emissora, ter audiência, ganhar seguidores no Instagram, quanto mais falar disso melhor para ela", afirmou.

O caso ainda está sendo investigado pela Polícia, mas, para o volante do Barcelona, já ficou provada a inocência do astro do Paris Saint-Germain.

"Foram esclarecidos os fatos, mentira tem perna curta, o bem sempre vence o mal e vai vencer aqui também. Era isso que ela queria, mídia, essa badalação toda, e ela conseguiu. A gente sabe que as notícias polêmicas têm mais audiência. Quanto menos a gente dar importância para isso, melhor para todos", comentou.

Neymar foi cortado da seleção brasileira porque torceu o tornozelo direito na vitória sobre o Catar em amistoso disputado na última quarta-feira, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Tite convocou o meia William, do Chelsea, para o seu lugar nesta sexta.

Na quinta-feira, Neymar prestou depoimento na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), na Cidade da Polícia, na zona norte do Rio. Ele foi ouvido no inquérito que investiga suposto vazamento de imagens íntimas e conversas com Najila Trindade. E Arthur comentou nesta sexta sobre o impacto que a saída dele teve para a equipe.

"No intervalo do jogo (contra o Catar), ele estava fazendo exames, disse que ia para o hospital. Voltamos do jogo, chegamos no hotel, com os exames em mãos. Como sou próximo dele, conversei, ele falou que ia ser cortado, logo depois veio o anúncio. Edu (Gaspar, coordenador de seleções da CBF) pediu a palavra na sala de refeição. Foi um baque grande", revelou.