Ídolo são-paulino, Zé Sérgio marcava seu último gol pelo clube há 36 anos

Ponta de velocidade e habilidade, o jogador fez parte do elenco que venceu o primeiro título brasileiro do São Paulo

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 20 - 36 anos atrás, um dos grandes jogadores do São Paulo deixava a sua marca pelo club epela última vez. Trata-se de José Sérgio Presti, conhecido no mundo da bola como Zé Sérgio, um dos pontas mais habilidosos do futebol brasileiro nas décadas de 70 e 80. No dia 20 de maio de 1984, o jogador fazia seu último gol com a camisa tricolor, em confronto contra o Guarani que terminou com vitória tricolor por 2 a 0, pelo Torneio Heleno Nunes.

Zé Sérgio chamava a atenção por sua habilidade com a bola nos pés. Atuando como um autêntico ponta que jogava nos dois lados do campo, se destacava por ter recursos e técnica capaz de marcar diversos gols e servir seus companheiros.

Ídolo são-paulino, Zé Sérgio marcava seu último gol pelo clube há 36 anos
Ídolo são-paulino, Zé Sérgio marcava seu último gol pelo clube há 36 anos

CARREIRA
Levado às categorias de base do São Paulo pelo ídolo corintiano Rivellino, que é seu primo, não demorou muito para se destacar pelos juniores do Tricolor. Promovido aos profissionais em 1976, foi destaque em importantes títulos conquistados pelo São Paulo.

Já titular da equipe em 1977, foi um dos responsáveis pelo primeiro Campeonato Brasileiro conquistado pelo São Paulo. Atuando juntamente à ídolos como Darío Pereyra e Waldir Peres, esteve entre os 11 iniciais da grande final contra o Atlético-MG. Além de entrar para a história são-paulina logo nos seus primeiros anos como profissional, Zé Sérgio ainda venceu o bicampeonato estadual em 1980 e 1981.

Suas memoráveis demonstrações de habilidade e atuações fizeram com que fosse considerado o melhor jogador do Brasil em 1980 pela imprensa brasileira, superando grandes craques da época, como Sócrates, Zico, Falcão e Reinaldo.

Após marcar seu último gol pelo São Paulo diante do Guarani, Zé Sérgio foi para o litoral paulista vestir a camisa do Santos. Com o Alvinegro Praiano, não demorou até conquistar um título: o Paulistão de 1984. O ponta ainda teve passagens pelo Vasco, onde conquistou o Campeonato Carioca de 1987 antes de se aposentar no Kashiwa Reysol-JAP, em 1991.

Pela Seleção Brasileira, ainda participou da Copa do Mundo de 1978 com apenas 21 anos. Camisa 7, foi reserva na campanha que terminou com a terceira colocação. Terminou a sua carreira com 25 jogos disputados e 5 gols feitos com a camisa canarinha.

Ficha técnica
Guarani 0 x 2 São Paulo

Local: Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas;
Data: 20 de maio de 1984;
Horário: 11h30;
Árbitro: Almir Ricci Peixoto Laguna (SP);
Gols: Agnaldo aos 22 min do 1º tempo e Zé Sérgio aos 17 do 2º tempo;
Renda: Cr$ 855.500,00;
Público: 796.

Guarani: Sidmar, Cocada, Nei, Wilson Gottardo e Gilberto; Júnior, Neto (Serginho) e Naldo; João Paulo (Evair), Roberto e Banana. Técnico: Zé Carlos.

São Paulo: Barbiroto, Paulo Roberto, Oscar, Darío Pereyra e Nelsinho; Zé Mário, Renato e Márcio Araújo; Paulo César (Sidnei), Agnaldo (Pianelli) e Zé Sérgio. Técnico: Valdir Joaquim de Morais.

Natanael Oliveira, especial para a FPF