São Paulo revê Rogério Ceni no Pacaembu em confronto com o Fortaleza

O ex-goleiro faz sua segunda partida desde o retorno ao clube cearense

por Agência Estado

São Paulo, SP, 05 (AFI) - São Paulo e Rogério Ceni voltam a se encontrar neste sábado, a partir das 17 horas, no Pacaembu. Será a primeira vez que o ídolo, agora técnico do Fortaleza, vai rever a torcida tricolor na capital paulista como adversário. No duelo do primeiro turno, o São Paulo venceu por 1 a 0 no Castelão.

O jogo deste sábado será realizado no Pacaembu porque o Morumbi receberá show da banda de heavy metal Iron Maiden no domingo. O encontro com Ceni, aliás, ficou perto de não acontecer. O técnico trocou o Fortaleza pelo Cruzeiro em agosto, mas foi demitido do clube mineiro e retornou ao comando da equipe cearense há uma semana.

Para o reencontro com o ídolo, a torcida do São Paulo esgotou os cerca de 30 mil ingressos. Os bilhetes restantes são de cotas reservadas para o setor dos visitantes, diretoria e jogadores, além das gratuidades do estádio municipal.

Assim como aconteceu no Castelão, as torcidas preparam homenagens a Ceni. A principal organizada do São Paulo pediu ao 2.º Batalhão Choque de Polícia Militar para entrar no Pacaembu com um bandeirão com a imagem do ex-goleiro.

No entanto, a torcida está proibida de usar artigos que a identifiquem dentro dos estádios por causa da confusão no Pacaembu antes do jogo contra o Cruzeiro, em junho. Sendo assim, apenas as outras uniformizadas poderão levar faixas e bandeiras que exaltem Ceni.

Como goleiro do São Paulo, Ceni soma 1.237 jogos, 131 gols e 25 títulos. Sua primeira experiência como técnico foi justamente no comando da equipe, mas não durou muito. Foram apenas seis meses de trabalho, com 14 vitórias, 13 empates e dez derrotas (49,5% de aproveitamento) até ser demitido pelo presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

A saída precoce deixou rusgas entre Ceni e Leco. Quando Cuca deixou o comando do São Paulo e Ceni foi demitido do Cruzeiro, a diretoria tricolor nem sequer cogitou a volta do ídolo para o cargo. No duelo do primeiro turno, Ceni recebeu uma camisa do São Paulo do meia Hernanes, seu ex-companheiro. Para o jogo deste sábado, não há qualquer ação planejada da diretoria para o técnico rival.

Enquanto a torcida prepara a recepção a Ceni, o técnico Fernando Diniz pensa em como montar a equipe para a partida. Contratado na semana passada, ele pode repetir a escalação que iniciou o empate sem gols com o Flamengo.

Assim como Cuca fazia, Diniz também fecha os treinos antes das partidas. Na quarta e quinta-feira, a imprensa pôde acompanhar apenas o aquecimento dos jogadores no CT da Barra Funda. Sexta-feira, a atividade foi completamente fechada.

Alexandre Pato, que treinou com o elenco ao longo da semana, ainda não ficará à disposição. Ele está em processo final de recuperação de estiramento na coxa direita. Diniz mostrou vários vídeos aos jogadores e cobrou pressão nas saídas de bola e movimentação constante.