Paulistão: Cuca lamenta não poder contar com reforços do São Paulo na decisão

O meia Vitor Bueno, o volante Tchê Tchê e o atacante Alexandre Pato chegaram após o fim do período de inscrições

por Agência Estado

São Paulo, SP, 08 - O treinador do São Paulo, Cuca, lamentou que não vai poder contar com os reforços que o clube acabou de contratar. Nenhum deles está inscrito no Campeonato Paulista. O meia Vitor Bueno, o volante Tchê Tchê e o atacante Alexandre Pato chegaram após o fim do período de inscrições e só vão poder atuar no Brasileirão - o time estreia dia 28 diante do Botafogo - e na Copa do Brasil.

"O ponto negativo (da classificação) é que não podemos contar com os reforços. Mas o positivo é o astral do grupo. Esta conquista faz com que os meninos amadureçam muito e se fortaleçam", disse o treinador.

RUMO AO TÍTULO ESTADUAL?
Cuca confessou que a classificação para a final do Campeonato Paulista mudou seu planejamento para as próximas semanas.

"Na minha cabeça, se fôssemos eliminados, nós teríamos três semanas de preparação para o Campeonato Brasileiro, que é o nosso projeto principal. Agora, nosso projeto principal é a final do Paulista. É melhor competir do que treinar", disse Cuca, que fez no último domingo sua reestreia na equipe após a primeira passagem, na temporada de 2004.

PAPO DECISIVO?
Cuca revelou o que conversou com os jogadores na véspera do confronto.

Cuca - Foto: São Paulo / Divulgação
Cuca - Foto: São Paulo / Divulgação

"O que conversei é que não tínhamos obrigação de ganhar o jogo. Vamos jogar. Não é se divertir. Não é assim.

A responsabilidade é muito grande. Com responsabilidade, com diminuição de espaço, criando espaço...", comentou.

FALA, CAPITA!
O volante Hudson, que se firmou na lateral direita, se mostrou aliviado por chegar à primeira final no São Paulo.

"Eu não me lembro de ter ganho uma disputa de pênaltis com o São Paulo. Isso é importante para a gente recuperar a confiança. É um passo. Prefiro ser azarão do que ser favorito", disse, referindo-se às dificuldades na fase de grupos - o São Paulo chega à final com a pior campanha entre os quatro semifinalistas.