Técnico do São Paulo é bancado pela diretoria até jogo da Libertadores

O presidente Carlos Augusto de Barros e Silva se reuniu com o diretor executivo Raí para analisarem o trabalho de André Jardine

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 11 (AFI) - O jogo de quarta-feira, contra o Talleres-ARG, no Morumbi, pela Copa Libertadores, pode ser o último de André Jardine pelo São Paulo. Isso porque a diretoria tricolor resolveu dar mais um voto de confiança ao treinador.

Após a derrota para a Ponte Preta, por 1 a 0, no Moisés Lucarelli, na noite do último sábado, o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva se reuniu com o diretor executivo Raí para analisarem o trabalho realizado por André Jardine até aqui.

O técnico André Jardine deve ser demitido se o São Paulo não se classificar na Libertadores
O técnico André Jardine deve ser demitido se o São Paulo não se classificar na Libertadores
É consenso que os números do treinador estão aquém do esperado. André Jardine assumiu o São Paulo após a saída de Diego Aguirre na reta final do Campeonato Brasileiro do ano passado e desde então comandou o clube em 12 jogos, com quatro vitórias, dois empates e seis derrotas.

A eliminação precoce na Copa Libertadores deixaria a situação de André Jardine insustentável. E, para isso não acontecer, o São Paulo precisa golear o Talleres-ARG por três ou mais gols de vantagem. Na semana passada, em jogo realizado na Argentina, o Tricolor perdeu por 2 a 0.

Mas a diretoria entende que a culpa não é só de André Jardine e por isso uma cobrança deve ser feita aos jogadores nesta segunda-feira. Na última sexta, líderes do elenco e dirigentes receberam a visita de membros das principais torcidas organizadas do clube.

 
 
" />