Preterido, Nenê deixa Morumbi antes dos demais jogadores do São Paulo

O técnico Diego Aguirre negou qualquer problema envolvendo o meia após ser questionado pela imprensa

por Agência Estado

São Paulo, SP, 04 - Após o empate deste domingo do São Paulo por 2 a 2 contra o Flamengo, na capital paulista, uma cena chamou a atenção na zona mista do estádio do Morumbi: o meia Nenê saiu bem rapidamente do vestiário, antes de qualquer outro jogador, passou pelos jornalistas e foi embora sem falar com ninguém. Ele ainda vestia o uniforme de jogo, com um agasalho por cima.

Atleta do elenco que mais atuou na temporada, com 49 jogos, o camisa 10 foi preterido pelo técnico uruguaio Diego Aguirre tanto na escalação inicial quanto no decorrer do confronto e não entrou em campo.

Nenê perdeu espaço entre os titulares do São Paulo e sequer entrou no empate diante do Flamengo
Nenê perdeu espaço entre os titulares do São Paulo e sequer entrou no empate diante do Flamengo

Foi o terceiro jogo seguido em que o antigo titular não esteve na escalação inicial de Aguirre, mas nos dois anteriores (Vitória e Atlético-PR), ele ao menos entrou ao longo das partidas. Questionado sobre o assunto, Aguirre procurou minimizar o episódio.

"O Nenê, não aconteceu nada. Saiu rápido, mas é normal, todos os jogadores querem jogar. Ele também. Os jogadores são muito competitivos, é normal querer estar dentro de campo. Não tenho mais nada para falar disso", afirmou o treinador.

PANOS QUENTES
O meia Diego Souza também procurou colocar panos quentes na história.

"Creio que a questão de ter saído rápido é porque amanhã (segunda-feira) é dia de folga, todos têm seus compromissos. Claro que queremos ver o Nenê bem, é um cara com muita qualidade. A gente quer ele feliz porque sabe que ele pode ajudar bastante", comentou o camisa 9, autor do primeiro gol contra o Flamengo.

Vale lembrar que não foi o primeiro incidente envolvendo Nenê pela mesma razão. No primeiro turno, durante a vitória sobre o Cruzeiro por 2 a 0, em Belo Horizonte, o jogador não gostou de ser substituído, fechou a cara ao notar que seria o escolhido a sair de campo e continuou de cara amarrada, reclamando enquanto se sentava no banco de reservas. Na ocasião, Aguirre afirmou que tomava as decisões que julgava serem as melhores para o time.

 
 
" />