ESPECIAL: Após decepções, São Caetano arranca e conquista inédito título da Copa Paulista

Antes de ser campeão sobre o XV de Piracicaba, Azulão foi rebaixado no Paulistão e caiu ainda na primeira fase do Brasileiro Série D

por Agência Futebol Interior

São Caetano do Sul, SP, 17 (AFI) - A temporada do São Caetano foi de fortes emoções. Começou com o rebaixamento no Paulistão, passou pela precoce eliminação no Campeonato Brasileiro da Série D e terminou com o título inédito da Copa Paulista.

CONFIRA O NOTICIÁRIO DO AZULÃO

PAULISTÃO
O ano de 2019 do São Caetano começou com Pintado como treinador e um promissor empate com o Corinthians, no Itaquerão. No entanto, os tropeços se acumularam, e a única vitória saiu apenas diante do Mirassol, na sétima rodada. Assim, com apenas oito pontos em 12 rodadas, o rebaixamento, ao do São Bento, com a lanterna do Grupo A, ficou inevitável.

SÉRIE D
Após o Estadual, o Azulão apostou e confirmou Luiz Gabardo como técnico no Brasileiro da Série D. De novo, porém, a equipe do ABC Paulista ficou longe de grandes resultados. Foram apenas cinco pontos em seis jogos - e terceira colocação do Grupo A16. Cianorte, com 13, e Caxias, com 11, avançaram ao mata-mata.

Foto: Anderson Rodrigues/FPF
Foto: Anderson Rodrigues/FPF

COPA PAULISTA
A estreia no Grupo 4 foi até que preocupante - empate sem gols, em casa, diante da Ponte Preta, que usava um elenco majoritariamente Sub-23. Assim, Luiz Gabardo foi demitido. Na terceira fase, o São Caetano estreou Marcelo Vilar, que vinha comandando o Ferroviário durante o Brasileiro da Série C. Deu tempo para se recuperar tranquilamente, fazendo 20 pontos em dez rodadas e ficando na liderança.

Na segunda fase, o Azulão sobrou. Foram três vitórias e três empates, seis gols marcados e apenas dois sofridos em seis partidas. Com 12 pontos, a liderança do Grupo 8 veio de forma tranquila - Linense, com sete, Rio Claro, com seis, e Desportivo Brasil, com cinco, ficaram bem atrás.

Na terceira fase, a vaga, de novo, veio sem maiores problemas - quatro vitórias, um empate e apenas uma derrota, nove gols feitos e cinco tomados. Mirassol, com 11 pontos, fechou o G2, enquanto Ferroviária, com sete, e o arquirrival Santo André, com três, ficaram pelo caminho.

Dono da melhor campanha entre os quatro sobreviventes, a semifinal reservou outro adversário do ABC Paulista - dessa vez, o surpreendente EC São Bernardo. Na ida, fora de casa, no Primeiro de Maio, empate por 2 a 2. Na volta, como mandante, no Anacleto Campanella, vitória pelo placar mínimo - e lugar assegurado em uma competição nacional de 2020.

De olho no título, no prêmio de R$ 250 mil e no direito de disputar o próximo Campeonato Brasileiro da Série D, São Caetano e XV de Piracicaba fizeram duas partidas equilibradas e emocionantes. Entretanto, com a vitória em pleno Barão da Serra Negra, em Piracicaba, por 3 a 2; e o empate por 1 a 1, em São Caetano do Sul, o Azulão chegou à inédita conquista.