Copa Paulista: Um dos maiores goleadores do São Caetano comemora retomada ao clube

Gol diante do Desportivo Brasil fez Ermínio empatar com Claudecir, na sétima colocação, entre os maiores artilheiros do São Caetano

por Agência Futebol Interior

São Caetano do Sul, SP, 23 - Poucos esportes proporcionam uma reviravolta em tão pouco tempo como no futebol. O São Caetano vivenciou exemplo disso, quando na rodada passada da Copa Paulista venceu (1 a 0) o Desportivo Brasil.

O Azulão garantiu o resultado positivo graças ao gol marcado por Ermínio. Algo normal se não fosse o fato de ter se recuperado de uma penalidade desperdiçada minutos antes.

Tenho experiência com esta situação. Não foi a primeira vez que erro um pênalti. No momento ficamos abatidos, mas sabemos também que a partida não termina naquela ocasião. Então é preciso se recuperar o mais rápido possível.

Foi isso que eu fiz, pois sabia que poderia acontecer outra oportunidade. Recebi lindo passe do Gleyson, que fez excelente trabalho como pivô. Trabalhamos em grupo aqui e, por isso, o São Caetano só tem a ganhar”, afirmou.

Ermínio comemora retomada ao clube (Foto: Divulgação/São Caetano)
Ermínio comemora retomada ao clube (Foto: Divulgação/São Caetano)

CONQUISTA!

Como se não bastasse, Ermínio ainda alcançou uma marca importante ao balançar as redes no fim de semana.

O atacante anotou na oportunidade o seu 28º gol pelo Pequeno Gigante, número que o fez empatar com Claudecir na sétima colocação entre os principais artilheiros da equipe.

Fico feliz de entrar mais uma vez na história do clube. Time com diversos títulos e pelo qual tenho carinho enorme.

Os números neste momento não importam muito, e sim conquistar os objetivos pelo São Caetano. Espero colocar esta equipe sempre no topo das competições”, contou um dos campeões da da Série A-2 em 2017 pela agremiação.

RETOMADA

Já sobre o atual momento pelo qual passa no Anacleto Campanella, Ermínio ressaltou a importância da última exibição visando a retomada da grande fase que teve em outrora no Azulão.

“Sei que não estava passando por um momento muito bom. Não vinha atuando e isso para o jogador é difícil. Mas nunca deixei de trabalhar, buscar o meu espaço. Graças a Deus fui feliz com a oportunidade que o professor Marcelo Vilar me deu. Perdi o pênalti sim, mas o que vale é a entrega, o empenho. Fico contente em ajudar o São Caetano”, concluiu o atacante do time, que terá Mirassol, Ferroviária e Santo André como próximos adversários na Copa Paulista.