Oficial! São Caetano apresenta quatro reforços para Série B

por Agência Futebol Interior

Wellington, de 20 anos, foi o destaque do futebol nordestino, atuando pelo Estadual de Alagoas. Mesmo com sua equipe fora das semifinais, terminou o campeonato pelo CRB-AL como artilheiro da competição, com 14 gols marcados em 16 jogos.

São Caetano do Sul, SP, 05 (AFI) - O lateral-direito Patrick (ex-Brasiliense) foi o primeiro reforço do São Caetano para o Campeonato Brasileiro da Série B 2010. O jogador já treina com o grupo, assim como outros quatro reforços, apresentados nesta terça-feira à tarde no Estádio Anacleto Campanella. O atacante Wellington (CRB-AL), o atacante Mazinho, o meia Kleber e o lateral-esquerdo Fernandinho (trio do Oeste), já vestiram a camisa e entraram no clima do Azulão: de buscar o retorno à elite.

Confira também:
Ponte Preta pode perder zagueiro para rival da Série B

“Estou orgulhoso e feliz com este novo momento. Comecei na base do CRB-AL e fui observado pelo São Caetano, que está me dando um voto de confiança. Estou pronto para disputar uma vaga neste ataque forte do São Caetano”, disse, referindo-se à Hugo, Wanderley, Eduardo, Fábio e, em breve, Vandinho.O alagoano foi apresentado ao lado de um trio que se destacou no Oeste, semifinalista do Troféu do Interior do Campeonato Paulista – eliminado pelo Azulão. O lateral-esquerdo Fernandinho, 24 anos, o meia Kleber (com passagem por Paraná Clube), 27, e o atacante Mazinho, 22, esperam usar o entrosamento conquistado no Oeste para reforçar o poderio do Azulão.



“O projeto do São Caetano para subir está sendo forte, com a manutenção da base e a chegada de reforços. Jogar no futebol paulista, próximo à Capital nacional do futebol, é a vontade de todos. Não vai faltar identidade e raça para devolver o time para a Primeira Divisão”, disse Mazinho. O São Caetano estreia na Série B neste sábado, em casa, às 16h10, diante do Figueirense. Na visão do técnico Roberto Fonseca, o campeonato será disputado.



“Nos dois últimos anos, Corinthians e Vasco tinham obrigação do acesso. Era uma vaga garantida. Agora temos inúmeras equipes com níveis parecidos. Nosso objetivo é manter a espinha que deu certo e trazer ainda mais jogadores talentosos, que venham para ajudar e lutar ao nosso lado”, completou o comandante.