Paulista A2: Lateral do São Bernardo lembra de Marcelo Veiga e fala sobre Catalá

'Não posso negar que os primeiros dias foram muito difíceis. Mas sei que o Marcelo Veiga estará torcendo de onde estiver"

por Agência Futebol Interior

São Bernardo do Campo, SP, 26 (AFI) - Um dos homens de confiança de Marcelo Veiga e no São Bernardo desde o ano passado, o lateral-esquerdo Pará falou sobre a preparação do Tigre agora sob o comando de Ricardo Catalá, afirmou que nos primeiros dias de pré-temporada foi difícil não lembrar da perda de Veiga, mas destacou que todos estão trabalhando muito para levar o clube ao acesso em 2021.

"O ano de 2020 foi um ano muito difícil para toda a população. Aqui no Brasil nós tivemos muitas pessoas perdendo o emprego, passando por necessidades, comércios fechando...E no futebol ficamos um período longo parados sem competição. E no final do ano sofremos um baque muito grande que foi a perda do nosso treinador. Eu particularmente tinha uma relação muito forte com ele de respeito e amizade. Não apenas como jogador e treinador. Foi muito difícil esse fim de ano", lembrou o lateral.

Bastidores da vitória do PSG sobre o Montpellier na Ligue 1

Espaço incorporado por HTML (embed)

Pará e Catalá. (Foto: Gabriel Goto)
Pará e Catalá. (Foto: Gabriel Goto)

TROCA NO ESTILO

O clube vive agora um momento de troca de comando. Com a chegada de Ricardo Catalá e um novo modelo de jogo, Pará destacou que a equipe vem buscando se adaptar o mais rápido possível a forma de jogar do novo treinador.

"É uma forma de jogo diferente, com mais posse de bola, buscando um jogo mais apoiado. Mas estamos trabalhando bastante para o grupo se adaptar o mais rápido possível nesse período de treinamentos. Nesse pouco tempo de trabalho já deu para perceber que o professor Catalá é muito estudioso e todos nós estamos nos ajudando no dia a dia para conseguir executar da melhor maneira a forma que ele quer a equipe jogando", avaliou.

"VEIGA ESTARÁ TORCENDO POR NÓS"

O lateral, apesar do difícil ano, fez questão de destacar que o pensamento de todos é seguir buscando o acesso, como foi planejado desde o início do projeto que tinha Marcelo Veiga como comandante.

"O professor Catalá chegou e abraçamos a ideia de jogo dele. Claro que não posso negar que os primeiros dias foram muito difíceis, falando por mim. Mas sei também que o professor Marcelo Veiga estará torcendo por todo esse projeto do São Bernardo de onde ele estiver. O nosso objetivo é buscar esse acesso. E agora com o professor Ricardo Catalá e toda a comissão técnica, temos condições disso", finalizou.