Série C: No "Jogo da Vergonha", Lucas Macanhan reedita feito do goleiro Sidão

Macanhan entra para história do clube como o único goleiro-linha, nos 67 anos de disputas oficiais do Bentão

por Luiz Carlos Éden

Sorocaba, SP, 27 (AFI) - Mesmo sob protestos do São Bento contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o "Jogo da Vergonha" foi realizado na noite de ontem (26), contra o Criciúma, no Walter Ribeiro, em Sorocaba, válido pela 12.ª rodada da fase de grupos do Campeonato Brasileiro da Série C.

IMPROVISADO

Por estar com 15 jogadores infectados com Covid-19, um suspenso e três no departamento médico, até momentos antes da partida, a diretoria do Bentão aguardou por uma decisão da entidade pelo adiamento do jogo, coisa que não houve.

Com pedido negado e com apenas 12 atletas disponíveis, o Azulão sorocabano foi a campo, tendo o goleiro Lucas Macanhan, como a única opção do técnico Edson Vieira no banco de reservas, Macanhan entrou aos 38 minutos do segundo tempo no lugar do meia-atacante Coutinho. O goleiro-atacante não teve oportunidade de marcar o "gol salvador" e o jogo terminou com empate sem gols, honroso pelas circunstâncias.

FEITO HISTÓRICO

Lucas Macanhan, de 26 anos, ex-Paraná Clube, chegou ao São Bento em dezembro de 2019 à pedido do ex-técnico Léo Condé, como sétimo reforço da equipe para o Campeonato Paulista da Série A2 (segunda divisão) deste ano. Um dos heróis da conquista do acesso à primeira divisão do Paulistão de 2021, Macanhan entra para história do clube como o único goleiro-linha, nos 67 anos consecutivos de disputas de competições oficiais do Bentão.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Macanhan também reedita o curioso feito do goleiro Sidão há 12 anos. Em 2008, o goleiro Sidão, revelado no Corinthians e hoje no Figueirense, também teve seu dia de goleiro-linha pelo União FC, de Mogi das Cruzes,

Naquele jogo,contra o Força EC, em Caieiras, válido pela primeira rodada da primeira fase da Série A3 (terceira divisão) do Campeonato Paulista, também por falta de jogadores e por opção técnica, Sidão jogou durante 90 minutos como centroavante do time mogiano, perdeu gol feito, o que não evitou a derrota de sua equipe por 1 a 0.

Mexicano Jorge Campos, o maior goleiro-atacante

Nascido em Acapulco, em 15 de outubro de 1966, Jorge Campos foi goleiro da Seleção do México por 130 partidas, entre 1991 e 2004 e disputou três Copas do Mundo. De uniformes chamativos e a habilidade com os pés, Campos entrou para o história do futebol como terceiro maior goleiro-artilheiro, com 47 gols marcados, mas como o primeiro e único goleiro a marcar gols com bola rolando, 43 gols.

Em 1995, jogando pelo Atlante, da Cidade do México, o goleiro reserva entrou em campo, Campos foi para o ataque e fez um gol de bicicleta. Encerrou a carreira em 2004, com 38 anos jogando pelo Puebla,