Há 19 anos, São Bento conquistava o título paulista da Série A3

O Azulão de Sorocaba, que disputou 30 partidas até ser campeão, era comandado pelo técnico Paulo Comelli

por Luiz Carlos Éden

Sorocaba, SP, 30 (AFI) - Há exatamente 19 anos, em 30 de junho de 2001, o São Bento conquistava o título do Campeonato Paulista da Série A3. Depois de 29 anos ininterruptos no Paulistão, o Bentão foi rebaixado em 1991. Começava ali um dos capítulos mais difíceis vividos na história do glorioso Azulão de Sorocaba.

Uma década marcada por uma crise financeira que parecia não ter fim. Com a falta de credibilidade, pouca ajuda por parte da política sorocabana, da cidade e investidores, quase sem dinheiro, o Bentão não conseguia montar um time à altura das competições que disputava.

Nesse período, chegou a ser rebaixado por duas vezes à quarta divisão do estadual, em 1994 e 1998. A humilhação só não foi maior devido à uma virada de mesa e mais a falência do antigo Novorizontino, que impediram a queda do São Bento à Série B1-A, atual Segundona.

Como diz o provérbio português - “Não há bem que sempre dure, nem mal que nunca se acabe” - contando com a ajuda do empresário Oliveira Junior, o Bentão montou um "supertime" para a disputa da Série A3 de 2001. Com uma grande campanha, após 30 rodadas, o time treinado por Paulo Comelli conquistou o título da competição e mais o tão sonhado acesso à Série A2.

Campeão em 2001, São Bento voltou a conquistar o título paulista da Série A3 em 2013 -  Foto: Leonardo Britos/FPF
Campeão em 2001, São Bento voltou a conquistar o título paulista da Série A3 em 2013 - Foto: Leonardo Britos/FPF
REGULAMENTO
Conforme regulamento inovado pela Federação Paulista de Futebol (FPF), as partidas de 2001 que terminassem empatadas eram decididas em pênaltis (cada time tinha direito a três cobranças, com cobranças alternadas até desempate).

No caso de empate sem gols durante os 90 minutos, apenas o time vencedor da disputa por pênaltis receberia um ponto. Se o empate no tempo normal fosse com gols, o vencedor das cobranças de pênaltis, além do ponto da partida, recebia um ponto extra. Este regulamento foi válido para todas as seis divisões do estadual daquele ano (Série A1 a Série B3) e Copa Paulista.

CAMPANHA
Oeste 2 x 1 São Bento

São Bento 1 x 0 XV de Piracicaba

Independente 0 x 3 São Bento

São Bento 2 x 0 Inter Bebedouro

Garça 4 x 1 São Bento

São Bento (3) 1 x 1 (4) Marília

Noroeste (4) 1 x 1 (3) São Bento

São Bento 5 x 0 Taubaté

XV de Jaú (2) 1 x 1 (3) São Bento

São Bento 3 x 0 Bandeirante

Flamengo de Guarulhos 2 x 1 São Bento

São Bento 2 x 0 Taquaritinga

Atlético Sorocaba 0 x 1 São Bento

São Bento 3 x 1 Jaboticabal

União Mogi (4) 1 x 1 (5) São Bento

São Bento (3) 1 x 1 (2) Oeste

XV de Piracicaba (1) 2 x 2 (2) São Bento

São Bento 3 x 2 Independente

Inter Bebedouro 0 x 2 São Bento

São Bento 2 x 0 Garça

Marília (4) 0 x 0 (5) São Bento

São Bento 2 x0 Noroeste

Taubaté (3) 2x2 (2) São Bento

São Bento 2x0 XV de Jaú

Bandeirante 2 x 1 São Bento

São Bento 1 x 4 Flamengo de Guarulhos

Taquaritinga (1) 1 x 1 (2) São Bento

São Bento (2) 1x 1 (3) Atlético Sorocaba

Jaboticabal (2) 1x1 (3) São Bento - Jogo do Acesso à Série A2

São Bento 3 x 1 União Mogi - Jogo do título da Série A3

Ficha técnica do jogo do título

São Bento 3 x 1 União Mogi

Data: 30/junho/2001

Local: Estádio Municipal Walter Ribeiro, em Sorocaba (SP)

Público e renda: ñ fornecido.

Gols: Wesley e Daivson (2) (São Bento); Maico (União Mogi)

Cartões Amarelos: Lúcio e Corrêa (São Bento); Manú e Zé Ilton (União Mogi)

Árbitro: Silvia Regina de Oliveira

São Bento: Fernando; Lima (Vagão), Romildo, Félix e Agnaldo (Alemão); Tião, Corrêa, Lúcio e Wesley; Da Silva (Nirley) e Daivson. Técnico Paulo Comelli

União Mogi: Rodrigo; Almeida (Nei), Manú, Édson e Jean Carlo (Nena); Zé Ilton, Kanú, Rafael e Maico: Nenê e Everton (Édson Ribeiro). Técnico Marcos César