Série C: Treinador do São Bento, Paulo Roberto reclama de gols perdidos na estreia

O Bentão ficou apenas no empate por 0 a 0 contra o Mogi Mirim, na primeira rodada da terceira divisão

por Rivail Oliveira

Sorocaba, SP, 16 (AFI) - A incompetência dos jogadores do São Bento em marcar gols na estreia, no empate por 0 a 0 com o Mogi Mirim em Osasco, na primeira rodada do Brasileiro da Série C, irritou o treinador Paulo Roberto Santos. Foram oito boas chances, um penal perdido e quatro bolas na trave.

Na coletiva, Paulo Roberto embora, destacando o respeito ao adversário, e mesmo com as dificuldades de elenco orçamento, do São Bento, disse que o time foi incompetente para marcar: “Falei isso pra eles depois do jogo; contei sete chances reais e quatro bolas na trave”, analisou.
Segundo Paulo Roberto, no sábado o São Bento foi um time que estava melhor preparado o que o adversário, que viveu as dúvidas da parceria que não deu certo com o Osasco. “Fomos superiores, envolveemos, criamos, tivemos mais posse de bola, ditamos o jogo, fomos agudos, fomos envolventes, atuamos pelos lados, e praticamente não demos chances. Fizemos tudo que deveríamos fazer mas fomos incompetentes para fazer o gol.
O treinador destacou que no futebol se vocês várias chances a faz duas, três, quando aparece outras o gol sai de forma natural; mas se por outro lado perde essas mesmas chances, falta tranqüilidade, a bola queima os pés, se precipita mais. “Foi ansiedade dos jogadores, pressa e perdemos todas essas oportunidades.Não soubemos mostrar a superioridade na hora de marcar gols e com cinco ou seis jogadores”, destacou, falando que o time tem treinado sim, finalização.
TIME BUSCA REFORÇOS
O técnico frisou que é cedo para falar em mudanças no time para o jogo de sábado contra o Tombense no CIC. “Vamos analisar com a cabeça mais fria.Temos uma semana inteira de trabalho.Precisamos trazer mais jogadores para termos mais opções pois não dá pra ficar com um elenco de apenas 20 jogadores de linha para um torneio difícil como o Brasileiro, onde temos problemas de cartões e lesões”, disse o treinador, sempre destacando que a vinda dos reforços esbarra nas limitações financeiras do clube.
Segundo Paulo Roberto, o atacante de lado, Everaldo só veio depois de muita conversa e com o Velo pagando o salário, além do empréstimo a custo zero do goleiro do Palmeiras. O treinador disse que seria preciso ter mais opções, pelo menos dois atacantes de mais profundidade. O jogador Ortigoza jogou fazendo a função de um meia de mais qualidade, outra carência. “Temos conversado com vários jogadores, mas podemos perdê-los para outros times esbarrando na condição financeira para qualificar o elenco”, disse Paulo Roberto.