Conmebol divulga áudio do VAR sobre pênalti reclamado pelo Santos contra o Boca

Na conversa na cabine do VAR, árbitros tratam lance que envolve Marinho como "choque de jogo"

por Agência Futebol Interior

Santos, SP, 07 (AFI) - No empate entre Boca Juniors e Santos em 0 a 0, na última quarta-feira (06), pela semifinal da Libertadores, o time paulista reclamou de um pênalti não marcado em cima do atacante Marinho. Após a polêmica, a Conmebol divulgou os áudios da cabine do VAR, que tratou o lance como "choque de jogo".

Santos reclama de pênalti não marcado em Marinho, contra o Boca Juniors. Foto: Ivan Storti/Santos FC
Santos reclama de pênalti não marcado em Marinho, contra o Boca Juniors. Foto: Ivan Storti/Santos FC

FOI OU NÃO FOI?

O diálogo divulgado pela Conmebol aponta, principalmente no início, uma indecisão por parte dos árbitros presentes na cabine do VAR. Confira a conversa que culminou na não marcação do pênalti a favor do Peixe:

Roberto Tobar (árbitro): Limpo, nada.

Eduardo Gamboa (AVAR): Se deixa cair (sobre Marinho)

Juan Gabriel Benitez (VAR): Tem um contato

Eduardo Gamboa (AVAR): Espera, Roberto

Juan Gabriel Benitez (VAR): Quero ver em velocidade normal

Juan Gabriel Benitez (VAR): Ok. Ele põe a perna, vendo de trás. Não recomece o jogo, eu quero ver na velocidade normal.

Eduardo Gamboa (AVAR): Nada. Choque de jogo.

Juan Gabriel Benitez (VAR): Segue, Roberto, segue.

FICOU PISTOLA!

Não conformado com a não marcação do pênalti, o Santos enviou um ofício à Conmebol, a fim de externar a sua indignação. Além disso, o jogador Carlos Sánchez, que se recupera de uma cirurgia, xingou o árbitro nas redes sociais: "Fdp. É pênalti.", publicou o uruguaio.

NO ALÇAPÃO

A partida de volta entre Santos e Boca Juniors, pela semifinal da Taça Libertadores da América, já tem data marcada. O jogo será na próxima quarta-feira (13), na Vila Belmiro, às 19h15. Uma vitória simples leva o Peixe à final da competição continental.