Antes de rescindir com Santos, Robinho critica TV Globo, 'emissora do demônio'

'A gente sabe como a Globo é uma emissora do demônio. É só você ver as novelas e a programação', disse

por Agência Futebol Interior

Santos, SP, 16 (AFI) - Em áudio vazado, o atacante Robinho fez duras críticas à TV Globo por conta de reportagens sobre sua condenação por estupro, na Itália. Segundo ele, a 'emissora do demônio' só quis ganhar audiência e se disse tranquilo em relação a jogar no Santos. Nesta sexta-feira, porém, depois dos áudios, Santos e Robinho comunicaram suspensão do contrato em comum acordo.

"Desistir jamais. Esses ataque da Globo não vão me afetar. A gente sabe que não é uma emissora que preserva coisas boas. Dão muita ênfase nas coisas negativas, querem ganhar ibope. Eu ter ido para o Santos, ajuda nisso porque eles (Globo) acham que o Santos é time pequeno. Acham que os grandes são só os de São Paulo".

VEJA FALA DE ROBINHO


'EMISSORA DO DEMÔNIO'

Em seguida, em outra parte do áudio, os ataques à Globo foram mais incisivos e até citou o nome do presidente Jair Bolsonaro.

"Viu o que eles fizeram com o Bolsonaro antes da eleição? Esses caras aí são pessoas usadas pelo demônio né?!

A gente sabe como a Globo é uma emissora do demônio. É só você ver as novelas e a programação. Vou colocar na camisa quando eu fizer gol: 'Globo, lixo. Bolsonaro tem razão'", finalizou.

CONFIRA O ÁUDIO COMPLETO:

Espaço incorporado por HTML (embed)

O QUE ACONTECEU
Em 2017, Robinho foi condenado a nove anos de prisão em primeira instância na Itália pelo crime de estupro coletivo contra uma jovem de origem albanesa. O caso ocorreu em 2013, em uma boate em Milão, na Itália.

Nesta sexta-feira, foram divulgados pelo GE.com trechos de gravações realizadas com autorizações judiciais em que o atleta revela que a vítima estava alcoolizada e que tentou fazer sexo oral com ela.

A defesa recorreu da sentença condenatória e ele responde em liberdade. Há mais duas instâncias na Justiça italiana até o trânsito em julgado da ação. O caso será apreciado pela corte de apelação de Milão em dezembro.

Os advogados afirmaram que ele é inocente, declararam que houve "equívoco de interpretação" em relação às conversas gravadas e se mostraram confiante de que a decisão seja revertida.

PRESSÃO DE PATROCINADORES
O clube vinha sofrendo pressão dos patrocinadores após repatriar o atacante. A Orthopride já rescindiu o contrato de patrocínio na última quarta-feira e outras duas empresas já avisaram que também deixarão de apoiar financeiramente o Santos se a equipe mantiver o jogador no elenco.