Após muita pressão, Santos e Robinho suspendem contrato

O decisão foi em conjunto e o anúncio aconteceu no início da noite desta sexta-feira

por Agência Futebol Interior

Santos, SP, 16 (AFI) - Após muita pressão dos patrocinadores e também de torcedores, o Santos anunciou no início da noite desta sexta-feira que o contrato de Robinho foi suspenso. A decisão foi tomada em comum acordo.

"O Santos Futebol Clube e o atleta Robinho informam que, em comum acordo, resolveram suspender a validade do contrato firmado no último dia 10 de outubro para que o jogador possa se concentrar exclusivamente na sua defesa no processo que corre na Itália", anunciou o clube em seu twitter.

VEJA A FALA DE ROBINHO APÓS RESCISÃO

SEM QUERER ATRAPALHAR
Robinho também se pronunciou sobre a suspensão do contrato em seu Instagram e disse que não quer atrapalhar o Santos. O atacante ainda garantiu que vai provar a sua inocência no caso do estupro cometido na Itália, em 2014.

"Galera, aqui é o Robinho. Com muita tristeza no coração, venho falar para vocês que tomei a decisão, junto com o presidente, de suspender meu contrato nesse momento conturbado da minha vida.

Meu objetivo sempre foi ajudar o Santos e, se alguma forma estou atrapalhando, é melhor que eu saia e foque nas minhas coisas pessoais. Para os torcedores do Peixão e para as pessoas que gostam de mim, com certeza vou provar minha inocência", disse Robinho.

O contrato de Robinho com o Santos foi suspenso (Foto: Ivan Storti/Santos FC)
O contrato de Robinho com o Santos foi suspenso (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

O QUE ACONTECEU
Em 2017, Robinho foi condenado a nove anos de prisão em primeira instância na Itália pelo crime de estupro coletivo contra uma jovem de origem albanesa. O caso ocorreu em 2013, em uma boate em Milão, na Itália.

Nesta sexta-feira, foram divulgados pelo GE.com trechos de gravações realizadas com autorizações judiciais em que o atleta revela que a vítima estava alcoolizada e que tentou fazer sexo oral com ela.

A defesa recorreu da sentença condenatória e ele responde em liberdade. Há mais duas instâncias na Justiça italiana até o trânsito em julgado da ação. O caso será apreciado pela corte de apelação de Milão em dezembro.

Os advogados afirmaram que ele é inocente, declararam que houve "equívoco de interpretação" em relação às conversas gravadas e se mostraram confiante de que a decisão seja revertida.

PRESSÃO DE PATROCINADORES
O clube vinha sofrendo pressão dos patrocinadores após repatriar o atacante. A Orthopride já rescindiu o contrato de patrocínio na última quarta-feira e outras duas empresas já avisaram que também deixarão de apoiar financeiramente o Santos se a equipe mantiver o jogador no elenco.