Jesualdo Ferreira minimiza chance de demissão no Santos: "Façam o que quiserem"

O Peixe foi eliminado do Paulistão nesta quinta-feira com a derrota para a Ponte Preta por 3 a 1

por Agência Futebol Interior

Santos, SP, 31 (AFI) - Jesualdo Ferreira não mostrou preocupação com a possibilidade de ser demitido após eliminação precoce no Campeonato Paulista em plena Vila Belmiro. Nesta quinta-feira, o clube alvinegro foi derrotado pela Ponte Preta por 3 a 1, de virada, após ter Marinho, expulso, ainda no primeiro tempo.

"Não temo nada. Diretoria está à vontade. Nem sequer me preocupa. Que façam o que quiserem. Não admito que alguém desista porque eu não desisto. Estamos todos tristes, revoltados. Espero que o torcedor entenda o que jogador tem passado com essa pandemia e condições todas. Tivemos problemas e vamos tentar resolver internamente. Não vou arranjar desculpas", disse Jesualdo Ferreira, antes de fazer uma breve análise da derrota sofrida nesta quinta-feira.

"A verdade é que equipe perdeu, não merecia perder enquanto conseguiu jogar. Sobre ponto de vista psicológica, está mal. Contra o São Paulo, ganhávamos. Depois mesma coisa. É no mínimo preocupante, mas nos deixa na dúvida do que será. E será nosso trabalho descobrir", completou.

Jesualdo Ferreira colocou o cargo à disposição
Jesualdo Ferreira colocou o cargo à disposição
Jesualdo Ferreira colocou o cargo à disposição
Jesualdo Ferreira colocou o cargo à disposição

OTIMISMO
O treinador, em entrevista coletiva, lembrou que há mais três competições na temporada: Copa do Brasil, Libertadores e Campeonato Brasileiro. Na visão do comandante, o Santos poderá disputar o título em todas.

"Questão passa pelo grupo entender os caminhos a seguir. De fato há três competições. Não acabou. Santos tem muitos jogos e não pode perder sem começar de fato o trabalho. De 15 até 60 ou 70 falta muito. E há muito tempo a recuperar", concluiu.

"Campeonato Paulista é um desejo de todas as equipes, das maiores às médias. Esse era o desejo do Santos. Queríamos muito ganhar. As outras estão em aberto. Jogadores precisam sentir que podem ganhar se fizerem o melhor possível. Ganhar crédito, confiança", finalizou.