Com Jesualdo sob pressão, Santos recebe Palmeiras em clássico no Pacaembu

O treinador português chega pressionado pelos resultados ruins no início de temporada e precisa dar uma resposta

por Agência Estado

Santos, SP, 29 (AFI) - Um clássico pela primeira fase do Campeonato Paulista vale como uma decisão para o técnico do Santos, Jesualdo Ferreira. O time alvinegro recebe o Palmeiras às 16 horas deste sábado, no Pacaembu, em um importante teste para o trabalho do técnico português. Pressionado pelos maus resultados, ele depende de um bom desempenho para ganhar mais estabilidade.

O Santos chega ao clássico com aproveitamento de apenas 52% dos pontos nesta temporada e sem vitórias em três dos quatro últimos compromissos. A cobrança no clube é grande para melhorar rapidamente, pois na terça-feira o compromisso será a estreia na Copa Libertadores diante do Defensa y Justicia, na Argentina. Por isso, o clássico pode ser uma resposta importante para uma equipe que passa por instabilidade.

Nos bastidores do Santos, o trabalho de Jesualdo Ferreira tem sido questionado. Mesmo com só dois meses de trabalho, as atuações fracas e o ataque de apenas seis gols em sete partidas levou à pressão de dirigentes para que o presidente José Carlos Peres troque o comando. O elenco também se mostra ciente de toda essa cobrança.

"A culpa não é apenas dele (Jesualdo). Somos culpados também. Entramos em campo para jogar. Não existe apenas um culpado ou dois. São todos. Temos de melhorar como equipe", disse o zagueiro Luan Peres.

O próprio presidente do clube manifestou que esperava um rendimento melhor do trabalho do português. Durante evento na CBF nesta semana, José Carlos Peres disse que, apesar de o Santos ser líder de seu grupo no Estadual, é preciso jogar melhor.

"Entendemos que o Jesualdo tenha sua oportunidade de adaptação. Futebol fala por si só. Se a bola não entra, é uma questão difícil de controlar. A intenção é que ele tenha tempo para se adaptar", explicou.

O técnico chegou ao clube na esteira do sucesso de outros dois estrangeiros no Brasil. Os resultados em 2019 do português Jorge Jesus no Flamengo e do argentino Jorge Sampaoli no próprio Santos serviram como um indicativo do quanto profissionais de outros países mereciam oportunidades. No entanto, até agora Jesualdo não conseguiu justificar a expectativa criada em torno dele.

FORMAÇÃO
A novidade no Santos deve ser a entrada do atacante Yuri Alberto no time. Ainda sem jogar pelo clube em 2020, ele estava com a seleção brasileira na Colômbia para a disputa do Pré-Olímpico. Quem deve perder lugar é Arthur Gomes. Marinho continua como desfalque do setor ofensivo, pois está em fase final de recuperação de fratura no tornozelo esquerdo.

O primeiro clássico da era da concessão privada do Pacaembu inaugura também a parceria do Santos com os gestores do estádio. O clube assinou um acordo para realizar nesta temporada pelo menos dez partidas no local.

Em 2019, o Santos disputou 12 partidas no Pacaembu, 11 delas como mandante. Venceu oito, perdeu três e empatou uma, sendo eliminado das três competições com mata-mata que disputou na temporada. O único jogo que o Santos fez como visitante foi diante do Palmeiras. E o resultado foi o pior possível: derrota por 4 a 0.

PALMEIRAS
O time da capital terá uma novidade no time titular para o clássico. A equipe vai apostar na estreia do atacante Rony, trazido recentemente do Athletico-PR. O jogador começou a treinar com o elenco nesta semana, foi apresentado pela diretoria na quinta-feira e na sexta pela manhã treinou na vaga de Willian no último trabalho antes do clássico com o Santos. Será a única mudança em comparação ao time que na última rodada bateu o Guarani por 1 a 0.

Rony assinou contrato com o Palmeiras por cinco temporadas e foi contratado após longa negociação, por R$ 28 milhões. Ele já teve o registro atualizado na CBF e foi inscrito no Campeonato Paulista na sexta.

O elenco palmeirense fez atividade pela manhã na Academia de Futebol sob chuva fina. Os jogadores iniciaram o dia com um treino de movimentação em campo reduzido comandado pelo auxiliar técnico Mauricio Copertino. Depois, o técnico Vanderlei Luxemburgo organizou um coletivo entre titulares e reservas. O trabalho não pôde ser filmado nem fotografado. O treinador parou os lances várias vezes para fazer orientações de posicionamento e ensaiou jogadas de bola parada.

A expectativa é que depois da partida com o Santos, Rony possa ser mantido como titular também na próxima quarta-feira, na estreia pela Copa Libertadores. O Palmeiras vai enfrentar o Tigre, na Argentina.