Luiz Felipe vê rodízio e participação ofensiva como trunfo por espaço no Santos

Zagueiro espera ganhar mais chances no segundo semestre, após perder espaço no começo do Brasileirão

por Agência Estado

Santos, SP, 11 - O rodízio implementado por Jorge Sampaoli é a esperança de Luiz Felipe para conquistar seu espaço no Santos no segundo semestre da temporada 2019. Afinal, o zagueiro é o quarto nome na hierarquia da zaga neste ano, estando atrás de Gustavo Henrique, Felipe Aguilar e Lucas Veríssimo em número de jogos disputados.

Luiz Felipe entrou em campo 13 vezes, contra os 30 jogos de Gustavo Henrique, os 29 de Aguilar e os 14 de Lucas Veríssimo. Além disso, não recebe uma chance como titular desde 31 de março, quando o time perdeu por 2 a 1 para o Corinthians, no confronto de ida das semifinais do Campeonato Paulista.

Zagueiro quer mais minutos. (Foto: Ivan Storti/Santos)
Zagueiro quer mais minutos. (Foto: Ivan Storti/Santos)
Ainda assim, ele garante não ter perdido o ritmo de jogo, algo importante para se sair bem quando acionado, como ocorreu no último compromisso do time antes da pausa do Campeonato Brasileiro, o triunfo por 1 a 0 sobre o Corinthians, quando entrou em campo já nos minutos finais da etapa final.

"Isso é importante. Todo mundo entrou e jogou muitos jogos. Isso dá confiança para nós e para o professor. Ele (Sampaoli) sabe que, independentemente de quem jogar, estamos preparados, estamos treinando forte para ajudar a equipe", disse, ao site oficial do Santos.

Com forte concorrência por espaço no Santos, Luiz Felipe tem a participação no setor ofensivo como trunfo para convencer Sampaoli a aproveitá-lo mais vezes. Afinal, ele já marcou duas vezes em 2019, marca só alcançada por Gustavo Henrique neste ano, mas com muito mais jogos disputados.

"Temos que ajudar o pessoal da frente. Quando vamos para a área adversária somos cobrados. Na hora da marcação a gente pede ajuda deles, então, quando vamos ao ataque, em uma falta ou escanteio, temos que ajudar fazendo gols. Vamos trabalhar para sair mais dois, três, quatro. Quanto mais gols eu fizer será melhor para mim e para o Santos", afirmou.