Santos recebe Atlético-MG e tenta evitar 3ª eliminação no Pacaembu em 2019

Há três semanas, Santos e Atlético-MG duelaram no Independência e empataram por 0 a 0

por Agência Estado

São Paulo, SP, 06 - O Santos recebe o Atlético Mineiro nesta quinta-feira, a partir das 20 horas, pelo duelo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, tentando evitar ampliar uma marca negativa no Pacaembu. Afinal, foi no estádio paulistano que o clube foi eliminado de outras duas competições em 2019: a Copa Sul-Americana e o Campeonato Paulista.

Há três semanas, Santos e Atlético-MG duelaram no Independência e empataram por 0 a 0. Por isso, quem vencer nesta quinta no Pacaembu estará garantido nas quartas de final da Copa do Brasil, sendo que nova igualdade levará a definição do classificado para a disputa de pênaltis.

Revezando-se entre Vila Belmiro e Pacaembu, o Santos até tem bom retrospecto no estádio paulistano em 2019, com oito vitórias, um empate e uma derrota em dez compromissos como mandante. Mas caiu na Sul-Americana com a igualdade contra o uruguaio River Plate com os portões fechados por punição imposta pela Conmebol e no Paulistão com o estádio lotado por mais de 37 mil torcedores na disputa de pênaltis contra o Corinthians após o triunfo no tempo regulamentar.

"Temos que tirar lição das eliminações, sim. Focar mais, ser mais agressivo. Contra o Corinthians foi absurdo o que fizemos. Agora é outra competição, coisa nova. Estamos focados, ir para cima, com intensidade, e que seja uma noite iluminada com a classificação", disse o volante Diego Pituca.

O cenário nesta quinta no Pacaembu deverá ser diferente ao desses dois compromissos. Afinal, após falhar na ação de recuar na decisão de tirar o jogo da Vila Belmiro, a diretoria recebeu críticas pelo aumento no preço dos ingressos, com a arquibancada custando R$ 90 para não-sócios. E com a procura tímida pelas entradas o confronto dificilmente atrairá mais de 20 mil torcedores ao Pacaembu.

O santista que se animar a ir ao estádio poderá ver em campo uma formação do Santos com novidades, especialmente no ataque, recentemente reforçado pelo colombiano Uribe e por Marinho, que fizeram a estreia pelo clube no fim de semana, na vitória por 1 a 0 sobre o Ceará pelo Campeonato Brasileiro. Esse triunfo representou o fim de uma sequência de três jogos sem ganhar, mas a produção ofensiva ainda precisa melhorar, pois o time só fez um gol nos últimos quatro compromissos.

MUDANÇAS

Marcas da gestão de Sampaoli, o rodízio nas formações utilizadas e o mistério na escalação se repetem no Santos para o confronto decisivo com o Atlético-MG. Certos são os desfalques do peruano Cueva e do paraguaio Derlis González, convocados para as respectivas seleções, que se preparam para a disputa da Copa América. Já Gustavo Henrique, Diego Pituca e o venezuelano Soteldo, descansados após cumprirem suspensão contra o Ceará, retornam ao time.

Santos recebe Atlético-MG e tenta evitar 3ª eliminação no Pacaembu em 2019
Santos recebe Atlético-MG e tenta evitar 3ª eliminação no Pacaembu em 2019
Uma indefinição no Santos envolve Rodrygo. O clube não o liberou para defender a seleção olímpica em torneio na França, mas a CBF não o cortou, o que o levou a não ser aproveitado no fim de semana. Na terça, a diretoria acionou o STJD com um pedido de liminar para utilizá-lo. E o tribunal deu 48 horas para a confederação se manifestar sobre o caso, antes do seu veredicto.

No Atlético-MG, o confronto com o Santos é encarado como importante teste para o sistema defensivo. O time não foi vazado em seus dois compromissos anteriores, diante de CSA e Unión La Calera, mas até então, sob o comando de Rodrigo Santana, só havia conseguido passar incólume uma vez, exatamente o confronto de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. E já são 14 partidas com a equipe sendo dirigida pelo treinador.

Não ser vazado nesta quinta ganha ainda mais importância para o Atlético-MG porque isso levará ao menos o confronto para a disputa de pênaltis. E no clube ainda está na memória de todos as três cobranças defendidas por Victor no duelo da semana passada com o Unión La Calera, o que garantiu a equipe nas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

NA FRENTE

Para não depender apenas de Victor, o Atlético-MG espera pelo fim da má fase de Ricardo Oliveira. Embora ainda seja o artilheiro da equipe na temporada, com 13 gols marcados, passou em branco nos últimos sete jogos. E só marcou um nas dez últimas vezes em que entrou em campo.

Recuperado das dores no ombro que o tiraram do segundo tempo do duelo com o Unión La Calera e também do confronto com o CSA, Ricardo Oliveira retorna ao time no momento em que ressurgem rumores de uma possível saída do Atlético-MG e em que aumenta a "sombra" de Alerrandro, 20 anos mais novo - 39 a 19.

A outra novidade do Atlético-MG será o volante Zé Welison, poupado no fim de semana. "Estamos em uma crescente muito boa e temos que continuar assim, colocar nesse jogo tudo que a gente vem praticando porque é um jogo decisivo, muito importante, e temos tudo para fazer um grande jogo", afirmou Elias.