Santos aprova empate, mas volta a lamentar falta de camisa 9

O auxiliar reconheceu que o duelo teve tempos bem distintos, mas também destacou a consistência defensiva do Santos

por Agência Estado

Santos, SP, 16 - O empate por 0 a 0 com o Atlético Mineiro, quarta-feira, no Independência, voltou a provocar lamentações da comissão técnica do Santos pela ausência de um camisa 9 no elenco. A avaliação do auxiliar técnico Jorge Desio, que orientou a equipe do banco de reservas no duelo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, foi de que faltou mais presença na grande área nos momentos em que o time controlou o duelo.

Como Jorge Sampaoli estava suspenso pelo cartão vermelho recebido no jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil contra o Vasco, Desio assumiu a responsabilidade de dirigir o time em Belo Horizonte. O auxiliar reconheceu que o duelo teve tempos bem distintos, mas também destacou a consistência defensiva do Santos nos momentos em que foi dominado pelo Atlético-MG.

Sem um centroavante de confiança no elenco, Sampaoli iniciou com Jean Mota sendo o jogador mais avançado do setor ofensivo, em função que depois passou a ser exercida por Eduardo Sasha, que entrou durante o segundo tempo.

Santos aprova empate, mas volta a lamentar falta de camisa 9
Santos aprova empate, mas volta a lamentar falta de camisa 9
"No primeiro tempo, pudemos manifestar o que viemos buscar. Tivemos o controle no primeiro tempo, mas faltou jogo na área. Eles tiveram mais a bola no segundo tempo, e nós terminamos nos defendendo bem", afirmou o auxiliar de Sampaoli.

DE BOA

Desio também considerou que a igualdade foi merecida e apontou que o 0 a 0 deixa o seu time em boas condições na briga pela vaga nas quartas de final da Copa do Brasil. "Não é um mau resultado. Sempre saímos querendo a vitória, mas sendo visitantes não é mau. Me pareceu justo o resultado", disse.

Santos e Atlético-MG voltarão a se enfrentar em 6 de junho, no Pacaembu, sendo que o vencedor estará classificado à próxima fase - novo empate leva o duelo aos pênaltis. No sábado, também no estádio paulistano, a equipe santista terá pela frente o Palmeiras em duelo que valerá a liderança do Brasileirão.