Victor Ferraz celebra recuperação no Santos e desabafa: 'Nunca fui mercenário'

Lateral sofreu no início da temporada com críticas da torcida, especialmente após despertar o interesse do São Paulo

por Agência Estado

Santos, SP, 24 - Os jogos do Santos contra Luverdense e Paraná, disputados nos últimos dias, foram importantes para Victor Ferraz. Antes titular absoluto da lateral direita, ele perdeu espaço após sofrer lesão no ombro, só conseguindo recuperar agora o seu espaço com o técnico Jair Ventura. Diante disso, ele reconheceu que esse retorno era muito esperado e revelou ter realizado trabalhos especiais para voltar a jogar em alto nível.

"Eu me preparei para isso. Quando me machuquei, não sei se muitos aqui me seguem nas redes sociais, naquele jogo fatídico, que voltei daquela forma para o campo, fiz uma promessa ao torcedor que ia treinar demais para voltar à minha melhor forma, a ser o Ferraz que todos se acostumaram a ver nessas cinco temporadas. Eu me regrei, abdiquei de muita coisa no dia-a-dia para descansar, foquei na recuperação e depois treinei muito, chegando mais cedo, saindo mais tarde para voltar dessa forma", disse.

Além de perder seu espaço no Santos, Victor Ferraz sofreu no início da temporada com críticas da torcida, especialmente após despertar o interesse do São Paulo, então dirigido por Dorival Júnior, que o havia comandado no clube da Vila Belmiro. E em tom de desabafo, ele reclamou daqueles que o classificaram como mercenário.

"Vocês sabem que sempre tive muito interesse em fazer carreira aqui, bater recordes e metas. Vocês perguntavam de jogar fora, recebi muitas sondagens e propostas, e nunca passou pela minha cabeça por ter essas metas. Dinheiro é um negócio que nunca me seduziu. Naquela época, muito torcedor me chamava de mercenário. Concordava com as críticas dentro de campo, mas isso era algo que me doía. E eu estava longe de ser mercenário pelas coisas que passei no clube", disse.

FIDELIDADE
Recentemente, Victor Ferraz renovou o seu contrato com o Santos até 2020, encerrando especulações sobre a possibilidade de sair do time. "Antes da renovação, eu não estava nem entre os 20 maiores salários do elenco. Dinheiro nunca me moveu. Se optasse por trocar de clube, não seria pelo dinheiro, mas pela possibilidade de o ciclo ter acabado. Gosto muito do clube, da cidade e tenho identificação grande com o torcedor", acrescentou.

Victor Ferraz sofreu luxação no ombro direito durante jogo contra o Ituano, em 28 de janeiro, pelo Campeonato Paulista. Depois disso, viu Daniel Guedes assumir a titularidade, só perdendo sua vaga após a dura derrota por 5 a 1 para o Grêmio, em 6 de maio, pelo Campeonato Brasileiro. Agora de volta ao time, ele garante não se sentir titular absoluto, fazendo elogios ao concorrente.

"Ele é um garoto fantástico. Já fui questionado sobre ele e falei sempre da necessidade de me manter em alto nível porque via pelos treinamentos que ele daria conta do recado. É um moleque promissor, de cabeça boa e acho que estamos bem servidos. Estamos provando isso dentro de campo. O momento é do Jair me utilizar novamente, nesses dois jogos, assim como eu voltei e fiquei seis jogos no banco. A opção era ele e respeitei. Fiquei feliz por ele. Queria jogar, mas sabia que ele estava indo muito bem. É um grande amigo, converso bastante, somos evangélicos e compartilhamos a palavra. A disputa pela posição é sadia", concluiu.

 
 
" />