Santo André descarta ir à Justiça por título caso Paulistão seja cancelado

O executivo de futebol Edgard Montemor diz que clube é favorável ao retorno da competição, mas alerta: "Hoje temos oito jogadores"

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 15 (AFI) - Sensação do Campeonato Paulista 2020, o Santo André deseja que a competição seja finalizada dentro de campo. Pelo menos foi isso que garantiu o executivo de futebol do clube, Edgard Montemor, em entrevista ao programa 'Balançando a Rede', da Rádio Futebol Interior.

"É complicado falar o que o Santo André gostaria num momento como esse, por conta de todo o problema gerado pela pandemia do novo coronavírus. O principal objetivo de toda a sociedade é vencer a doença. Só depois de tudo ter passado que vamos começar a falar de outras coisas, como por exemplo o futebol. Mas a posição do Santo André é que o Paulistão seja finalizado", comentou o executivo.

No entanto, mesmo com posição favorável à continuidade da competição, algo preocupa o clube do ABC paulista. Quase 70% do elenco não tem mais contrato vigente com o Santo André.

Edgard Montemor concedeu entrevista à Rádio Futebol Interior
Edgard Montemor concedeu entrevista à Rádio Futebol Interior

"Dos 26 inscritos, perdemos 18 jogadores. Conversamos sempre que possível com os atletas por conta da possibilidade de retorno, para tentarmos fazer as renovações. Se a competição voltar e só pudermos utilizar os jogadores já inscritos, hoje o Santo André tem oito atletas".

SEM TAPETÃO

Uma reunião entre a Federação Paulista de Futebol (FPF) e representantes dos 16 clubes do Paulistão está acontecendo neste momento via videoconferência para definir o rumo do Paulistão.

Montemor descartou qualquer possibilidade do Santo André, líder geral com 19 pontos, recorrer à Justiça com o intuito do clube ser reconhecido como campeão em caso de cancelamento do campeonato.

"Se for cancelada a competição e não tiver campeão, será uma decisão tomada pela federação e pelos clubes e será respeitada pelo Santo André. Não vejo o clube brigando por um título na justiça. O ideal é terminar a competição, respeitando o problema de saúde que a gente se encontra. Em nenhum momento a diretoria Santo André defendeu essa hipótese. Vamos respeitar a decisão tomada', garantiu.

SURPRESO

Edgard também revelou que as metas do Ramalhão antes do início do Paulistão eram bem diferentes do momento em que a equipe se encontra.

"Quando você inicia uma competição como é o Paulista Série A1, mais difícil disparada do primeiro semestre, em que os clubes acabam montando elenco de Série B e até Série de Brasileiro. tenho certeza que o primeiro objetivo dos clubes menores é a permanência".

"Esse foi o objetivo passado para os jogadores. Isso poderia acontecer no início ou no final da competição. Com cinco rodadas o Santo André já tinha os pontos suficientes para a permanência e passamos a pensar em voos maiores. Mas no início o objetivo era a permanência, como vai ser sempre. É difícil colocar o título como objetivo para um time com menor investimento. Tem que ser passo a passo", destacou.