Série C: Remo usa Profut como defesa e consegue suspender leilão da sede social

Imóvel localizado na região nobre de Belém seria leiloado nesta quarta-feira, em razão de uma dívida do clube remista

por Agência Futebol Interior

Belém, PA, 17 (AFI) - O Remo conseguiu suspender o leilão da sede social do clube, que estava marcado para esta quarta-feira. O departamento jurídico baseou a defesa nos argumentos de que o clube remista é adepto ao Porfut, além de ter questionado o valor do imóvel projetado pelos organizadores do leilão.

O Leão aderiu ao Profut, programa de renegociação de dívidas, em 2016 e parcelou os seus débitos. A participação contou como ponto positivo perante o Tribunal Regional Federral. Sobre os valores da sede, localizado em área Nobre de Belém, o leilão a avaliou em R$ 15 milhões, mas um levantamento feito pelo Conselho Regional de Engenharia aponta para R$ 65 milhões.

Foto: Divulgação / Clube do Remo
Foto: Divulgação / Clube do Remo
A dívida em questão é oriunda da gestão de Raimundo Ribeiro, presidente do clube entre 2007 e 2008. Foi feito um acordo para que o valor fosse quitado, mas ao longo dos anos uma série de parcelas seguiu em aberto.

Nos últimos anos, o Remo tem sofrido bastante com a questão financeira, muito disso em razão de problemas com a Justiça Trabalhista. Em maio da atual temporada, no entanto, foi divulgado um levantamento que considerou uma redução de 70% das dívidas trabalhistas do clube.