Desorganização e falta de comando levam o Primavera a desfazer parceria com a Magnum

A Magnum alegou que não vinha tendo retorno com a parceria, enquanto o clube estava insatisfeito com a falta de comprometimento da empresa

por Agência Futebol Interior

Indaiatuba, SP, 03 (AFI) – O que se especulava nos últimas dias aconteceu: Primavera e Relógios Magnum desfizeram a parceria, que até agora não foi benéfica para ninguém. A decisão foi tomada no inicio da noite da última quarta-feira, e nesta quinta as partes discutem os últimos detalhes da rescisão para oficializar tudo a imprensa e aos torcedores de Indaiatuba.

A Magnum alegou que não vinha tendo retorno com a parceria, enquanto o clube estava insatisfeito com a falta de comprometimento da empresa com os pagamentos de funcionários, jogadores e de dívidas passadas. A falta de sintonia, que já era grande, ficou ainda maior depois que Lucas Andrino assumiu o papel de presidente do clube.

Lucas Andrino é o homem de confiança de Roberto Graziano, dono da Magnum e que deu a ele o cargo de dirigente após ser expulso do Guarani, onde fez péssimo trabalho e não deixou saudades. Pelo o contrário. Só revolta. Mesmo diante de tanta incompetência, o Primavera não tinha o que fazer. Ou aceitava as decisões da empresa ou ficaria sem dinheiro para tocar sozinho o futebol neste segundo semestre.

Andrino fala muito e faz pouco. Foi assim no Guarani e agora no Primavera
Andrino fala muito e faz pouco. Foi assim no Guarani e agora no Primavera

Os conselheiros do Primavera temiam pela saída. Alguns diziam que a mesma era eminente, enquanto outros preferiam aguardar. Fato é que, além de Andrino e demais dirigentes da Magnum, os conselheiros do clube também colaboraram para o péssimo momento do clube, seja dentro ou fora de campo.

Na manhã desta quinta-feira, um dos conselheiros do clube, Toninho, disse não saber da saída da empresa de relógios. Limitou-se a dizer que não tinha autorização para falar e que acreditava na permanência da Andrino, Graziano e companhia.

“A reunião de terça-feira foi absolutamente normal. Não teve nenhuma discussão. Mas eu não tenho autorização para falar mais nada. Até acreditava que a Magnum ficaria no clube. Vou lá agora no almoço saber disso tudo”, disse Toninho ao Portal FI.

TÉCNICO TAMBÉM DEIXA O TIME
Com a saída da Magnum, o técnico Fábio Giuntini também teve seu trabalho encerrado no Primavera. O treinador optou pela saída, pois havia sido contratado por Lucas Andrino. Ele estava há apenas duas semanas no Fantasma da Mogiana. Junto dele também sai o auxiliar-técnico Orlando Gonçalves Júnior.

"Como recebi o convite do Lucas (Andrino), optei por deixar o clube juntamente com eles. Quero agora seguir meu caminho para novos desafios e vou investir meu tempo visitando alguns clubes e já observando atletas para um novo trabalho que possa aparecer, juntamente com o Júnior (auxiliar técnico)", disse o treinador.

Giuntini fez grande trabalho no Globo, do Rio Grande do Norte, onde colocou o time na disputa da Primeira Divisão Estadual. Depois foi treinar o Espírito Santo, quando conquistou o acesso de informa invicta.

Em meio ao fim da parceria, o time segue treinando visando a classificação na Copa Paulista. O time é o terceiro colocado do Grupo 3, com sete pontos ganhos.

 
 
" />