Paulista A2: De volta ao mata-mata, Portuguesa é eficiente na disputa pelo acesso

Lusa vai enfrentar o XV de Piracicaba nas quartas de final; jogo da ida é na segunda (7), às 17h30

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 01 (AFI) - De volta à disputa da segunda fase do Campeonato Paulista da Série A2 após sete temporadas, a Portuguesa tem bom retrospecto na divisão quando o assunto é decisão. Com a vaga garantida com uma rodada de antecedência, o time do Canindé pode se inspirar nas campanhas de 2007 e 2013 para conseguir o tão sonhado retorno à elite estadual.

Em toda sua história centenária, essa é a sétima participação da Portuguesa na Série A2 do Campeonato Paulista. Nas outras seis, toda vez que avançou da primeira fase obteve o acesso à elite estadual. No entanto, o clube do Canindé retorna à disputa para subir interrompendo uma sequência de quatro temporadas de eliminações ainda na primeira fase.

BATE E VOLTA
Apenas 18º colocado do Paulistão de 2006, a Portuguesa foi rebaixada à Série A2 pela primeira vez. Na estreia na divisão inferior, porém, o time sobrou. Líder da primeira fase, conquistou o acesso com folga no quadrangular semifinal, já que somou 14 dos 18 pontos disputados. Superou o Rio Preto na decisão para ficar com o título inédito. O jovem Diogo foi o principal nome da equipe.

 De volta ao mata-mata, Portuguesa é eficiente na disputa pelo acesso (Foto: Dorival Rosa/Portuguesa)
De volta ao mata-mata, Portuguesa é eficiente na disputa pelo acesso (Foto: Dorival Rosa/Portuguesa)
De volta à elite, fez campanha mediana em 2008 -ficou em 10º-, mas ficou fora das semifinais de 2009 por um gol de diferença no saldo. O Santos venceu a Ponte Preta e se classificou no lugar da Lusa com gol aos 43 minutos do segundo tempo. O bom sexto lugar em 2010 precedeu a volta da disputa ao mata-mata na elite, em 2011, quando acabou eliminada pelo São Paulo, nas quartas de final. Em 2012, porém, ficou apenas na 17ª posição e amargou novo rebaixamento à Série A2.

Assim como em 2007, não houve sofrimento para retornar à elite. Segundo colocado na primeira fase, somou 15 dos 18 pontos disputados no quadrangular que decidia os acessos e subiu com tranquilidade. O bicampeonato veio na disputa com o Rio Claro. O atacante Diego Viana foi o principal destaque da equipe.

QUEDA E DIFICULDADES
Com nova fórmula de disputa na elite -em grupos- o retorno luso foi bom, já que embora eliminada na primeira fase, esteve bem distante da disputa contra o rebaixamento. No ano seguinte, porém, nova queda precedida de anos de dificuldade na luta pelo retorno. Em 2016 e 2017, com 20 times, ficou apenas na 13ª posição, chegando a sonhar com uma vaga no mata-mata.

Com reformulação das séries e a disputa com 16 equipes, os dois últimos anos foram de luta contra o rebaixamento. Na 12ª posição em 2018, terminou cinco pontos à frente do primeiro que caiu e seis atrás do G8. Já em 2019 a 11ª posição com 17 pontos significou apenas dois à frente do primeiro rebaixado e dois atrás do último classificado. Em resumo, mais uma eliminação na primeira, a quarta seguida.

A VAGA
Com 27 pontos, a Portuguesa garantiu a vaga à próxima fase do Paulistão A2 Sicredi com uma rodada de antecedência e ficou com a terceira posição. Desta maneira, o adversário da próxima fase será o XV de Piracicaba, sexto colocado.

Campanha:
15J 27Pts 8V 3E 4D 14GP 8GC 6SG

Número de participações: 7 (2007, 13, 16, 17, 18, 19 e 20)
Títulos: 2 (2007 e 2013)