Copa Paulista: Portuguesa responde 'zoeira' de ministro: 'Respeite nossa história'

Abraham Weintraub 'tirou onda' com a Lusa, que, na quarta-feira, comemorou 99 anos de fundação

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 15 (AFI) - A Portuguesa, na tarde desta quarta-feira, data na qual comemorou 99 anos de fundação, foi alvo de 'zoeira' do Ministro da Educação, Abraham Weintraub. Indignada com a 'piada', o clube rubro-verde, que atualmente disputa apenas a Copa Paulista, respondeu com uma nota oficial.

A Lusa se mostrou insatisfeita com o ministro e lembrou a rica história que possui no cenário do futebol nacional. Além disso, deu uma leve 'cutucada' ao lembrar que o Brasil não conta com os melhores índices educacionais e questionou a necessidade de 'se “defender” de uma manifestação democrática'.

CONFIRA A NOTA OFICIAL DA PORTUGUESA
"Com muita indignação esta Associação Portuguesa de Desportos que sempre respeitou o Poder Público, e que desde sua origem contribui para o crescimento do desporto no país, recebeu a notícia de um post no Twitter pela conta pertencente ao Ministro da Educação, Abraham Weintraub, que buscando menosprezar uma manifestação popular, comparou-a a uma manifestação de torcedores desta Associação.

Primeiramente Sr. Ministro, devemos alertá-lo que nossa educação não é uma primazia, a despeito de sua própria declaração, que como ministro da Educação, conseguiu em breves linhas desrespeitar a democracia, crenças, ideologias, laços culturais.

Não respeitou uma entidade quase centenária, que ao longo de sua história foi celeiro de diversos craques nacional e internacional.

Para se “defender” de uma manifestação democrática, ofendeu uma nação de apaixonados, menosprezando suas conquistas e lutas. Ofendeu nossas origens e também a profissão digna de muitos.

Aqui não é uma comunidade de padeiros, mas temos entre nós muitos deles, e são orgulhos de nossa origem.

Não somos meia dúzia de pessoas, somos milhões, parte deles silenciados por terem sofrido com a maior vergonha da história do futebol nacional, que culminou com o rebaixamento desta Associação no ano de 2013, algo não apurado de maneira contundente pelo Poder Público, cujos desdobramentos estão presentes até os dias atuais.

Mas continuamos de pé, porque o amor não se mede por divisão, nem por quantidade.

Respeite nossa história, respeite nosso amor.

Hoje, mais do que nunca VAMOS À LUTA.

São Paulo, 14 de agosto de 2019,

99 anos da Associação Portuguesa de Desportos

Alexandre Azevedo Barros

Presidente da Diretoria".

RICA HISTÓRIA
A Portuguesa-SP foi formada a partir da fusão de cinco clubes da cidade de São Paulo (SP): o Lusíadas, o Lusitano, o 5 de Outubro, o Marquês de Pombal e o Portugal Maranhense. A data de fundação da Lusa também não foi escolhida ao acaso. Faz alusão à Batalha de Aljubarrota, importante episódio na história de Portugal.

Em 14 de agosto de 1385, tropas portuguesas triunfaram sobre o exército castelhano (proveniente do Reino de Castela, coroa que daria origem à Espanha) e consolidaram a independência do Reino de Portugal do domínio espanhol. Exatos 535 anos depois, a comunidade portuguesa na capital paulista uniu-se para celebrar uma nova vitória: o surgimento da Rubro-Verde.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Desde sua fundação, a Lusa teve como principal atividade a prática e o desenvolvimento do futebol. O clube é saudosamente lembrado pelas grandes equipes formadas nas décadas de 1930, 1940 e 1950, com grande destaque para esta última, o time-base da Seleção Brasileira da época.

Muitas das principais conquistas do clube foram obtidas neste prolífico período, como o bicampeonato paulista (1935 e 1936) e os títulos do Torneio Rio São-Paulo (1952 e 1955). Outro momento de destaque na história lusitana veio em 1973, com o terceiro troféu do Campeonato Paulista, erguido pelas mãos de grandes da Fabulosa como Basílio, Xaxá, Izidoro e companhia.

TÍTULOS
Na fase mais recente da Rubro-Verde, mais títulos de importância foram adicionados ao respeitável currículo lusitano. Em 2011, o clube conquistou o primeiro e, até o momento, único troféu nacional da quase centenária história da Lusa: a Série B do Brasileirão.

Foto: Bruno Castilho / EC Taubaté
Foto: Bruno Castilho / EC Taubaté
Vale destacar a incrível campanha que levou a Portuguesa ao vice-campeonato brasileiro em 1996, quando a Fabulosa foi derrotada pelo Grêmio-RS na grande decisão.

No entanto, a maior glória da Portuguesa é o histórico reconhecimento como um dos principais celeiros de craques do futebol brasileiro.

Foram formados nos campos da Fabulosa nomes consagrados como Djalma Santos, Julinho Botelho, Pinga, Basílio, Zé Roberto, Dener, Rodrigo Fabri, entre tantos outros grandes jogadores saídos das categorias de base da Lusa. Desde o dia 14 de agosto de 1920, a Rubro-Verde se destacou pelo inesgotável DNA formador.