Paulista A2: Focado no acesso, técnico da Portuguesa pede agilidade nas contratações

Até agora, Guilherme Alves recebeu cinco jogadores para reforçar o seu time na disputa do estadual de 2018

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 07 (AFI) - Recém contratado para comandar a Portuguesa na disputa do Paulista A2, o técnico Guilherme Alves segue preparando a elenco - que vem recebendo alguns reforços - para a estreia diante do Batatais, no dia 17 de janeiro. Apesar das cinco caras novas no time, o comandante pediu mais agilidade da diretoria da Lusa nas contratações para o estadual.

“Os treinamentos estão sendo intensos, excelentes. Estamos recebendo uma resposta muito interessante dos atletas. A única coisa é que a gente precisa acelerar um pouco mais nas questões de contratações. Precisamos de um elenco encorpado, de atletas para serem titulares e resolverem os nossos problemas, principalmente zagueiros”, disse o técnico em entrevista ao site NetLusa.com.br.

Focado no acesso, técnico da Portuguesa pede agilidade nas contratações
Focado no acesso, técnico da Portuguesa pede agilidade nas contratações

JOGADORES QUE JÁ CHEGARAM AO CANINDÉ
Até o momento, a diretoria da Portuguesa acertou a contratação de cinco jogadores. Trata-se do zagueiro Igor João, dos laterais Carlinhos e Cesinha, do volante Felipe Manoel e do meio-campista Gian. Desses, apenas dois não foram indicados por Guilherme Alves.

“Indiquei o Felipe Manoel, o Carlinhos e o Cesinha. Sobre o Gian, nós levantamos algumas observações e ele foi muito bem indicado pelo Moacir Júnior, que foi seu técnico no Botafogo-SP. O Igor João praticamente tinha um acerto antes de eu chegar. Foi um empresário, ex-jogador da Lusa, que o indicou”, explicou o técnico também em entrevista ao site NetLusa.

Guilherme Alves também fez questão de ressaltar a necessidade da chegada de reforços para o setor defensivo. Atualmente, a equipe do Canindé conta apenas com Gabriel Santos e Igor João para o setor.

“Há uma necessidade muito grande de contratarmos zagueiros. Tentamos dois ou três, mas não conseguimos. Precisamos um para poder jogar”, concluiu.