Alexandre Barros confirma favoritismo e é eleito presidente da Portuguesa

Ele comandará a Lusa nos dois próximos anos. Objetivo maior é tirar o clube da crise

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 05 (AFI) - Em meio a todo crise - rebaixado para Série D do Brasileiro e com uma dívida de R$ 200 milhões -, a Portuguesa elegeu na noite desta segunda-feira o seu novo presidente. O jornalista da Equipe Líder da Tropical FM, Alexandre Barros, 42 anos, venceu a disputa com o dentista, Marco Antonio Teixeira Duarte, 65, filho de Oswaldo Teixeira Duarte, histórico presidente do clube e cujo nome batiza o estádio do Canindé, por 147 a 35 votos. Apenas 369 conselheiros estavam aptos para votar, mas nem todos compareceram ao pleito.

Alexandre Barros, que terá como vice-presidente Manuel Reis e Luis Laúca como homem forte do futebol da Lusa, vem com um ideal de recolocar a Portuguesa novamente no cenário nacional. O mandatário ressaltou, ao Portal Futebol Interior, a importância de voltar a disputar os principais torneios do Brasil

“A Série A2 vai ser importante para a Portuguesa voltar para o lugar onde ela pertence. A gente entra na competição para subir. Na Série D é a mesma coisa. Qualquer torneio que a gente disputar o objetivo não vai ser menor do que isso, brigar no topo. As pessoas que apequenaram a Portuguesa, mas ela é grande. E o leilão do Canindé também não assusta a gente porque o maior patrimônio da Portuguesa é seu futebol e sua torcida”, afirmou Alexandre.

Alexandre Barros é o novo presidente da Portuguesa
Alexandre Barros é o novo presidente da Portuguesa
DÍVIDAS
A situação da Portuguesa é muito delicada. As dívidas trabalhistas levaram a Justiça colocar o Estádio Canindé em leilão. O primeiro ocorreu no último dia 18, mas sem compradores. Uma nova data deve ser marcada assim que um interessado pelo patrimônio aparecer. O leilão ainda pode ser barrado se a nova diretoria da Lusa chegar a um acordo com os credores, que deve acontecer apenas em caso de pagamento das dívidas.

Antes mesmo de ser eleito, Alexandre se diz aberto a novas parcerias, as quais considera importante para reerguer a Portuguesa. O clube já recebeu uma proposta de um grupo encabeçado por Conexão 3 Desenvolvimento e Negócios e Planova Planejamento e Construções, mas o projeto não foi adiante porque estava atrelado, em um primeiro momento, à suspensão dos leilões, algo que não aconteceu.

"A parceria, por exemplo, renderia R$ 500 mil por mês apenas para cuidar do futebol. Esse valor paga metade das despesas", comentou há época.

O jornalista, que afirmou que não abandonará a profissão, traz consigo a esperança de muitos torcedores que pediam o fim da corrupção e uma Portuguesa brigando novamente com os grandes do país.

 
 
" />