Para estrear bem, Ponte Preta tentará findar jejum de mais de dois anos na capital

Duelo contra o América-MG será na capital paulista, no estádio do Canindé, neste sábado

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 07 (AFI) - A Ponte Preta terá que estrear na Série B do Campeonato Brasileiro longe de Campinas por conta da pandemia do novo coronavírus. O duelo contra o América-MG será na capital paulista, no estádio do Canindé, neste sábado, às 21 horas. Como se isso não bastasse, o clube do interior tentará findar um jejum de mais de dois anos.

Desde 17 de janeiro de 2018, ainda pela primeira rodada do Paulistão, a Ponte Preta não vence em São Paulo. Naquela oportunidade, os campineiros fizeram 1 a 0 em cima do Corinthians. De lá para cá, quatro jogos e quatro derrotas para Palmeiras (1 a 0) e Corinthians (1 a 0) em 2019 e para Palmeiras (1 a 0) e São Paulo (2 a 1) em 2020.

Prontos para derrubarem o tabu. (Foto: Luiz Guilherme Martins / Ponte Preta)
Prontos para derrubarem o tabu. (Foto: Luiz Guilherme Martins / Ponte Preta)

REFORÇOS!
E para derrubar esse tabu, a Ponte Preta foi ao mercado. O técnico João Brigatti ganhou: os zagueiros Luizão e Rayan, o lateral-esquerdo Ernandes, os volantes Luis Oyama e Neto Moura, os meias Camilo e Luan Dias e os atacantes Osman, Moisés, Zé Roberto e Matheus Peixoto.

"São atletas extremamente profissionais, de muita qualidade, e nossa ideia é utilizar a maioria deles já neste sábado. Conto com eles para todos os jogos", disse o comandante.

"Trabalhamos com atletas profissionais e não robôs. Temos uma sequência complicada neste início, e vamos precisar desse rodízio de atletas", completou Brigatti.

SAÍDAS!
A Ponte Preta, no entanto, também perdeu alguns jogadores. O principal deles foi o atacante Roger, artilheiro do clube no século. Ele chegou a um acordo com a diretoria e rescindiu seu contrato. O volante Jeferson, por sua vez, acertou com o Botafogo, enquanto o zagueiro Trevisan voltou para o Estoril, de Portugal.

A Macaca deverá jogar com: Ivan; Apodi, Rayan, Luizão e Ernandes; Luis Oyama, Dawhan (Neto Moura), João Paulo e Camilo; Bruno Rodrigues e Zé Roberto.