Aumento salarial de 140% e três anos de contrato: atacante recusa oferta da Ponte

Promessa da base, Felipe Saraiva tinha vínculo com a Macaca só até 27 de junho

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 30 (AFI) - Felipe Saraiva não é mais jogador da Ponte Preta. O contrato do atacante chegou ao fim no último sábado, 27 de junho, e ainda não foi renovado para sequência da temporada.

Tido como uma das principais promessas recentes das categorias de base, o jogador de 22 anos recusou a contraproposta feita pela Macaca nas últimas semanas e está livre no mercado para assinar com qualquer clube.

Saraiva recusa contraproposta da Ponte Preta - Luiz Guilherme Martins / AA Ponte Preta
Saraiva recusa contraproposta da Ponte Preta

A oferta do clube campineiro compreende vínculo de três temporadas - até junho de 2023 - e aumento salarial na faixa de 140%.

Os vencimentos, atualmente em torno de R$ 25 mil, saltariam para cerca de R$ 55 mil, isto é, um aumento de R$ 30 mil mensais.

Prestigiado com Sérgio Carnielli, presidente de honra, Saraiva concordou com a validade do acordo, mas fez exigência salarial superior - ele, contudo, está bem longe de ser unanimidade no Moisés Lucarelli.

NÃO VAI FICAR BARATO

É importante ressaltar que a Ponte Preta não vai aceitar perder o jogador de graça. Caso a proposta seja definitivamente recusada e não haja consenso por valores, Departamento Jurídico vai ingressar com ação na Justiça para forçar renovação automática até 27 de junho de 2021.

De acordo com o clube campineiro, há entendimento de que uma cláusula deixa tal possibilidade em aberta após empréstimo ao Botafogo-SP na temporada passada.

Sem marcar gols há exatos dois anos, Felipe sofre com a falta de regularidade vestindo a camisa alvinegra.

Na atual temporada, depois de passagem por Ribeirão Preto, esteve presente em nove dos 13 compromissos oficiais, mas ainda não contribuiu decisivamente no ataque ao longo de 474 minutos.