Contrato é entrave para Ponte Preta devolver Cléber Reis ao Santos; entenda

Criticado antes da pandemia, zagueiro está emprestado à Macaca até 10 de dezembro de 2020

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 25 (AFI) - Embora não confirme oficialmente, a Ponte Preta deve passar por um processo de reformulação depois da pandemia do novo coronavírus com a saída de atletas pouco utilizados até aqui.

Um dos nomes na pauta, principalmente pelo mal desempenho no início da temporada, é o de Cléber Reis. Entretanto, abrir mão do zagueiro para sequência da temporada é medida inviável ao Departamento de Futebol.

Cléber Reis está emprestado pelo Santos à Ponte até dezembro - Luiz Guilherme Martins / AA Ponte Preta
Cléber Reis está emprestado pelo Santos à Ponte até dezembro

Mesmo que já tenha sete opções disponíveis para a zaga, Macaca será obrigada a arcar com parte do salário do beque até o fim do empréstimo, cuja validade é 10 de dezembro de 2020.

O atleta tem os direitos econômicos vinculados ao Santos, e os salários de aproximadamente R$ 220 mil são divididos igualmente entre os clubes.

OUTRO LADO...

O Peixe garante que, caso a Alvinegra opte pela devolução, não vai arcar com nenhum centavo a mais nos vencimentos até o fim do ano.

O time da Baixada Santista, inclusive, está proibido pela Fifa de registrar novas contratações por sequer ter pago o Hamburgo (ALE) pelo negócio firmado no início de 2017 foi de R$ 7,3 milhões na época - com juros e correções monetárias, dívida com time europeu já ultrapassa R$ 25 milhões.

INCHOU

Durante a quarentena, a Ponte Preta contratou mais dois defensores - Luizão e Rayan - e chegou a sete peças.

Além da dupla e Cléber, João Brigatti tem à disposição Alisson, Henrique Trevisan, Léo e Wellington Carvalho - é provável que, ao menos, um nome deixe o elenco.

A comissão técnica e membros da diretoria executiva ainda apostam na volta por cima do atleta, com cinco jogos na temporada, caso continue no Moisés Lucarelli para disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.