Presidente revela negociação com atletas e fala sobre saúde financeira da Ponte

Tiãozinho afirmou que os salários da equipe campineira estão em dia

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 26 (AFI) - Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho, falou sobre a saúde financeira da Ponte Preta, voltou a afirmar que as contas estão em dia e citou alguns termos da reunião entre a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol e a Comissão Nacional de Clubes. Na visão do mandatário, pode ocorrer uma decisão unilateral, caso um acordo não seja firmado nos próximos dias.

"A nossa expectativa é que até o fim dessa semana e no começo de abril haja um acordo com os atletas. Caso contrário, é possível que as decisões sejam tomadas de maneira unilateral, seja por um conjunto de equipes, seja individualmente por cada clube de acordo com a sua realidade econômica", falou o presidente, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

"Uma vez que não está tendo jogos, é natural que você não pague todo o direito de imagem, pois não está ocorrendo a exposição da imagem dos atletas. Então a primeira proposta era reduzir a imagem, no mínimo, em 25%, mas os atletas também não concordaram com isso", completou.

SAÚDE FINANCEIRA
Tiãozinho aproveitou também para novamente esclarecer a situação financeira da equipe. O presidente garantiu que os pagamentos estão em dia, mas revelou a necessidade de acertar alguns passivos, motivados por ações trabalhistas.

Tiãozinho falou da situação da Ponte Preta
Tiãozinho falou da situação da Ponte Preta
"Obviamente, os nossos torcedores também estão preocupados com a saúde financeira da Ponte Preta e a sua sustentabilidade. É um clube que tem 119 anos e tem projeções para o futebol precisa sempre estar com os pés no chão e tomar decisões de maneira muito correta. A Ponte tem, sim, passivos trabalhistas. Isso é público e notório. Outros canais de comunicação têm divulgado isso também, de modo que as decisões que nós estamos tomando é justamente para evitar que a Ponte carregue para o futuro mais problemas trabalhistas", falou o mandatário, que completou.

"Então o que nós estamos fazendo? Na medida em que as decisões estão sendo tomadas, a Ponte Preta tem sido notificado. Nós temos buscado fazer acordos e honrá-los, uma vez que você fez um acordo com determinado atleta tem que cumprir integralmente, sob risco de voltar à dívida principal, carregada de juros e de correção monetária", finalizou.

PAULISTÃO
Com duas vitórias em dez jogos, a Ponte Preta foi para a paralisação na lanterna do Paulistão, com sete pontos. No Grupo A, está atrás de Santos, com 15, Oeste e Água Santa, com dez.