Série B: Com três trocas, Ponte Preta fecha preparação antes de visitar o América-MG

Com acesso improvável, Macaca vai a Belo Horizonte para dar fim ao jejum de quatro rodadas sem vitória

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 01 (AFI) - A Ponte Preta encerrou, na manhã desta sexta-feira, com atividade no Moisés Lucarelli, a preparação para enfrentar o América-MG, neste sábado, a partir das 19h, no Estádio Independência, em Belo Horizonte, em duelo válido pela 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Em jejum de quatro rodadas e distante do acesso, Gilson Kleina não detalhou quem pretende escalar nas vagas do zagueiro Airton, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e do lateral-direito Diego Renan e do volante Edson, cujos contratos foram rompidos nesta semana.

"A decisão pelo desligamento dos cinco jogadores foi totalmente administrativa. Sei que o ano foi moldado para a Ponte Preta conseguir o acesso. As coisas não aconteceram. Eu disse aos atletas e, agora, passo ao torcedor. Tudo o que acontece é culpa nossa. É culpa minha, dos atletas que estão executando, de uma atmosfera criada dentro da instituição. Sei que a Ponte Preta está acima de tudo isso", analisou o treinador, em entrevista coletiva.

Gilson Kleina mostra abatimento por fracasso na Série B - Álvaro Júnior / PontePress
Gilson Kleina mostra abatimento por fracasso na Série B

"A palavra é reação. É mostrar que temos de correr pelos que saíram. Temos de fazer a mea-culpa, pois há parcela direta sobre isso. O clube nos dá condição de fazer um trabalho e ter desempenho, mas falhamos em alguns momentos. Isso precisa estar no subconsciente de todo mundo. Todo mundo pode dar um pouco mais. É preciso estar motivado", emendou.

MÁ FASE

Responsável por assumir o comando técnico em agosto, logo no início do segundo turno dos pontos corridos, Gilson Kleina tem aproveitamento inferior a 40%, desempenho que colocaria a Macaca na briga contra a zona de rebaixamento.

"Os meus números, neste momento, são ruins mesmo. Nunca passei pela Ponte com esses números. Também não quero pontuar, mas é um momento em que administro muitas situações aqui dentro. Não é de agora. Às vezes, é preciso entender o contexto para que as coisas possam realmente entrar nos trilhos e ter objetivo exclusivo no âmbito do futebol", comentou.

"Estamos fazendo o melhor, tentando fazer com que a Ponte Preta possa reagir. Na minha gestão, há alguns resultados para lamentar. É preciso trabalhar a todo momento. Quero dizer ao torcedor que vamos organizar essa equipe, brigar por outros objetivos. Enquanto estiver no comando aqui, quero coisas maiores. Foi esse sempre o meu pensamento junto à Ponte Preta e aos atletas. Há condições de deixar o clube forte", completou.

QUEM JOGA?

Uma provável Ponte Preta para entrar em campo em Belo Horizonte tem: Ivan; Arnaldo, Renan Fonseca, Reginaldo e Guilherme Guedes; Washington, Lucas Mineiro e Renato Cajá; Vico (Araos), Marquinhos e Roger.

O time campineiro ocupa o 11º lugar na tabela da Série B com 41 pontos, oito de desvantagem em relação ao Coritiba, primeiro integrante do G4.