Série B: Sem definir time, Kleina vê Dérbi 195 como início de nova era na Ponte Preta

Longe da elite, treinador quer vitória da Macaca para inagurar gestão de Tiãozinho com o pé direito

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 08 (AFI) - Gilson Kleina vê a disputa do Dérbi 195, neste sábado, às 16h30, no Brinco de Ouro da Princesa, como início de nova era na Ponte Preta.

Agora sob comando de Sebastião Arcanjo, após renúncia de José Armando Abdalla Júnior, o treinador da Macaca, já experiente em clássicos, tem como meta vencer o Guarani para iniciar o mandato do novo presidente com o pé direito.

"Desejo à próxima gestão, ao presidente Tiãozinho, que ele siga muito feliz e consiga implementar as ideias. Que possamos realmente colocar um conceito de jogo dentro da Ponte e há totais condições. Que voltemos a ser vitoriosos. Espero que possa acontecer no próximo jogo", comentou, em entrevista coletiva, antes do último treinamento no Moisés Lucarelli.

Kleina tenta terceira vitória em cima do Guarani pela Ponte - Álvaro Júnior / Ponte Press
Kleina tenta terceira vitória em cima do Guarani pela Ponte

"É um grande jogo e rivaliza duas grandes equipes. Sei da tradição e da história. É algo muito importante à nação pontepretana. Sei o que isso significa. Vejo o sentimento e tudo o que mobiliza. O duelo muda o comportamento de Campinas. Tenho ciência da responsabilidade. Há pressão, mas temos de tentar fazer o nosso melhor", emendou.

SABE BEM COMO É

Kleina, já com alta rotatividade em duelos decisivos, também retorna ao Brinco de Ouro, local no qual foi especulado em agosto, por nova escrita.

Depois de amargar eliminação na semifinal do Campeonato Paulista de 2012, no 'Dérbi do Século', o comandante alvinegro pede nervos no lugar e maturidade para fazer a trinca em cima do maior rival na temporada.

"A atmosfera tem de ser criada de forma positiva. É tentar fazer o nosso melhor. É entender que é 11 contra 11. Os artistas são os atletas. Que eles demonstrem e executem da melhor maneira possível. O jogo aflora muito o lado emocional. Vou ver como cada atleta reage. É questão da experiência. Já vivemos este clássico", falou.

"Quando nos preparamos para um clássico, todo ele é diferente, porque entra história, tradição e fica marcado. Disputei quatro dérbis. Tive a felicidade de ganhar dois, empatar um e perder outro. Já ganhei aqui dentro e já ganhei no campo do Guarani. Já empatei aqui e tive uma situação adversa lá, quando até saímos na frente", arrematou.

QUEM JOGA?

A Ponte Preta encerrou preparação na manhã desta sexta-feira, com a presença da torcida, no Majestoso. O time, porém, é mantido a sete chaves por Kleina.

A principal indefinição está no ataque: Vico ou Marquinhos. No meio-campo, a tendência é de que Washington e Camilo sejam escalados juntos, enquanto Henrique Trevisan pinta como favorito para assumir a lateral-esquerda no clássico.

Uma provável Macaca para o clássico tem: Ivan; Edílson, Renan Fonseca, Airton e Henrique Trevisan; Washington, Camilo, Renato Cajá e Araos; Marquinhos (Vico) e Roger.