Série B: Entre Ponte Preta e Criciúma, Gilson Kleina tem aproveitamento de lanterna

Atual treinador da Macaca soma 30 pontos em 30 rodadas disputadas nos pontos corridos

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 15 (AFI) - Se Gilson Kleina fosse um time na Série B do Campeonato Brasileiro, ocuparia a lanterna.

Nas passagens por Criciúma e Macaca, técnico soma 30 jogos, com apenas 30 pontos conquistados - seis vitórias, 12 empates, 12 derrotas - 24 gols marcados, 33 sofridos e 33,3% de aproveitamento

À frente do Tigre, em 14 rodadas, alcançou três triunfos, quatro igualdades, sete reveses, nove gols marcados, 16 sofridos e 13 pontos.

Na Macaca, por sua vez, em 16 participações, são três resultados positivos, oito empates, cinco tropeços, 15 gols pró, 17 contra e 17 pontos, o que é suficiente para brigar contra a zona de rebaixamento no returno.

A soma é, inclusive, inferior aos números do lanterna São Bento, prestes a ter a queda sacramentada. O time de Sorocaba tem os mesmos 30 tentos, porém leva vantagem no critério de desempate: número de vitórias (7 a 6).

Gilson Kleina tem aproveitamento de lanterna nesta Série B - Álvaro Júnior / Ponte Press
Gilson Kleina tem aproveitamento de lanterna nesta Série B

HISTÓRICO

Kleina assumiu o Criciúma no meio de março com foco na segunda divisão nacional. Ele acabou demitido após ser derrotado para o Operário, por 2 a 1, em pleno Estádio Heriberto Hulse - logo após sua saída, o clube catarinense encaixou uma boa sequência na luta contra o Z4 sob comando interino.

Um mês depois, Gilson retornou ao Majestoso para substituir Jorginho, demitido após queda de rendimento em termos de produção e resultados.

A ideia era que o comandante conseguisse reeditar a arrancada de 2018, quando quase alcançou o acesso, mas amarga campanha fraquíssima no segundo turno - prova disso é que a Alvinegra só cumpre tabela nas três últimas rodadas.

OUTRO LADO DA MOEDA

Jorginho, demitido da Macaca, hoje depende apenas de si para levar o Coritiba de volta à primeira divisão nacional - é o terceiro colocado com 57.

Ele passou algumas rodadas desempregado, entre as viradas dos turnos, mas foi contratado pelo time paranaense logo após demissão de Umberto Louzer, após sequência de tropeços consecutivos dentro e fora do Couto Pereira.

O lateral-direito, tetracampeão da Copa do Mundo em 1994, já disputou 12 partidas pelo Coxa Branca: seis vitórias, cinco empates, uma derrota, 15 gols marcados, 10 sofridos e 23 pontos tentos.

À frente da Macaca, clube pelo qual venceu dois dérbis na temporada, participou de 18 jogos, sete triunfos, seis igualdades, cinco derrotas, 21 gols pró, 17 gols contra e 27 pontos.

VALEU A PENA TROCAR?

No geral, Jorginho tem 50 pontos contra 30 de Kleina nesta edição dos pontos corridos e com o mesmo número de jogos.

Curiosamente, os dois treinadores, enquanto disponíveis no mercado, foram contatados pelo Guarani, rival da Ponte Preta.