Série B: Após demissão, Mazola Júnior dispara: 'Ponte Preta não é mais dos pontepretanos'

Atualmente no Londrina, treinador revela decepção por ter sido desligamento sem nenhuma justificativa

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 08 (AFI) - Horas antes de reencontrar a Ponte Preta, agora no comando do Londrina, em duelo válido pela Série B do Campeonato Brasileiro, Mazola Júnior não teve travas na línguas para detonar algumas pessoas ligadas ao clube campineiro.

Em entrevista à Rádio Central de Campinas, o treinador, sem citar nomes, revelou mágoa com a forma pela qual foi desligado do clube, logo após a quinta rodada do Campeonato Paulista - o aproveitamento foi de 33,3%, com uma vitória, dois empate e duas derrotas.

"É importante voltar à Série B e trabalhar no Londrina. Sinceramente, tinha dúvidas se voltaria a trabalhar após a decepção com a Ponte Preta, um projeto sonhado. Fiquei decepcionado com as pessoas, mas o futebol é assim. Infelizmente, a Ponte Preta não é mais dos pontepretanos", disparou.

Mazola Júnior revelou mágoa pela forma como foi demitido da Ponte Preta em fevereiro - Álvaro Júnior / PontePress
Mazola Júnior revelou mágoa pela forma como foi demitido da Ponte Preta em fevereiro

"Não me arrependo ter aceitado o convite da Ponte no fim do ano passado. De forma alguma! Clube e torcida são maravilhosos. Eu, sim, me decepcionei com as pessoas. Elas passam. O clube fica. É o time do meu coração. Eu nunca escondi isso de ninguém. Eu não estou mais dentro da Ponte. Já não sei mais o que se passa. O grande problema deste clube é o que acontece em volta. Eu não sou capaz de resolver o problema, nem comentar", emendou.

NO PARANÁ

Mazola estreou no comando do Tubarão no último final de semana, quando venceu o Cuiabá por 1 a 0, dentro da Arena Pantanal. O comandante desembarcou no Norte do Paraná com objetivo de livrar o time da zona de rebaixamento, após sequência de uma vitória em 12 rodadas na Série B.

"O tempo passou, e a ferida está curada. Agora entra em campo o lado profissional. Vamos fazer de tudo para vencer. Trabalhamos bem. O time vem em crescente boa após vitória em Cuiabá. Espero dar sequência em Campinas. A condição de trabalho no Londrina é absurda. Tem um dos maiores CT's do mundo. São cinco campos, hotel, tudo de bom o que puder imaginar. É algo espetacular. O time já chegou a liderar a Série B", comentou.

"Conheço 75% dos atletas do elenco. Fiz algumas alterações na plataforma tática do time. Tivemos competência de conseguir o resultado em Cuiabá, apesar das dificuldades apresentadas. Não era para o Londrina estar nesta situação. O time estava debilitado no aspecto psicológico", arrematou.