Série B: Por conta de tumulto em 2017, Ponte Preta é condenada a indenizar torcedores

Pai e filho, Gideão Messias da Silva e Ryan Lucas entraram com uma ação contra a Macaca, após a confusão no jogo contra o Vitória

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 19 (AFI) - A derrota para o Vitória, que decretou o rebaixamento da Ponte Preta para a Série B do Campeonato Brasileiro em 2017 e terminou com um tumulto generalizado no Estádio Moisés Lucarelli, ainda está gerando ônus para o time campineiro. Isso porque, nesta semana, a Macaca foi condenada pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo a indenizar dois torcedores por danos morais por conta da grande confusão.

Pai e filho, Gideão Messias da Silva e Ryan Lucas, de apenas nove anos, ficaram bastante conhecidos pois foram personagens marcantes nas cenas da confusão após serem expulsos de dentro do estádio 'a pontapés' de um policial militar. Os dois pedem uma indenização a Ponte Preta por conta de todo esse desgaste.

Por conta de tumulto em 2017, Ponte Preta é condenada a indenizar torcedores
Por conta de tumulto em 2017, Ponte Preta é condenada a indenizar torcedores
Do outro lado, a diretoria da Macaca já informou que vai recorrer a sentença. Segundo a Ponte Preta, não houve fala omissão na prestação do serviço, e o dano moral foi causado por atos praticados pela Polícia Militar. Na época, inclusive, o time campineiro fez algumas ações para tirar a má impressão que ficou com a dupla, porém nada adiantou e o pai preferiu entrar com uma ação na justiça contra o clube.

CONFIRA A SENTENÇA
1) com relação à Fazenda, JULGO IMPROCEDENTE o pedido.
Deixo de condenar os requerentes nos ônus da sucumbência, por serem beneficiários da assistência judiciária;

2) com relação à segunda requerida, JULGO PROCEDENTE o pedido, para condená-la a pagar ao requerente R. indenização por danos morais no valor de R$ 30.000,00 (trinta mil reais), e ao requerente G. indenização por danos morais no valor de R$ 15.000,00 (quinze mil reais). Os valores deverão ser monetariamente atualizados desde a data desta sentença (Súmula 362 do Superior Tribunal de Justiça) e acrescidos de juros moratórios de um por cento ao mês a partir da data do fato (Súmula 54 do Superior Tribunal de Justiça). Condeno a segunda requerida, sucumbente, ao pagamento de honorários advocatícios, que arbitro em quinze por cento sobre o valor da condenação.

RELEMBRE A CONFUSÃO
Logo após a Ponte Preta levar o gol da virada do Vitória, que decretou a derrota da Macaca e o rebaixamento para a Série B, o tumulto gereralizado começou. Um torcedor estourou a grade e invadiu o gramado. Outro grupo danificou o portão que dá acesso ao campo.

A Polícia Militar precisou ser acionada para conter a invasão e houve confronto entre torcedores e policiamento nas arquibancadas. Fora do estádio a confusão continuou, com depredações e atos de vandalismo.